Éber Bessa “Desejo que mais ninguém morra e tudo volte ao normal”

23
visualizações

O brasileiro, que tem a sua esposa Jéssica e filha Maria Luísa ao lado na quarentena, está em contacto com os colegas de equipa: “Temos falado muito para perceber se todos estão bem”.

 

- Pub -

Éber Bessa, médio do Vitória FC, tão cedo não esquecerá que a 21 de Março de 2020 celebrou o seu 28.º aniversário em condições inéditas e excepcionais. Na sequência da decisão de suspender os treinos e jogos da equipa por tempo indeterminado, como medida de prevenção e contingência à propagação da pandemia COVID-19, todos os jogadores, equipa técnica e staff do clube setubalense permanecem em quarentena até decisão em contrário.

Ao lado da sua mulher Jéssica e da filha Maria Luísa, de quatro anos de idade, o jogador brasileiro, que está por estes dias confinado à casa onde reside em Setúbal, revelou o presente de aniversário que gostaria de ter recebido. Numa conversa em que também se falou de futebol, Éber Bessa contou a forma como tem procurado atenuar os efeitos da paragem nestes dias de quarentena, período em que tem mantido contacto com os colegas de equipa.

 

Como está a viver o momento actual de pandemia? Quem tem ao seu lado?

É um momento complicado em que a saúde de todos é o mais importante. É fundamental que todos cumpram as regras e fiquem em casa nesta fase. É o que temos feito, eu a minha esposa (Jéssica) e a minha filha (Maria Luísa).

Por todas as razões, o 28.º aniversário foi certamente diferente. Como foi?

Sim, foi muito diferente. Vou estar apenas com elas as duas, mas será muito especial também.

Sente que valoriza ainda mais o momento por não poder estar fisicamente perto dos que mais ama?

Graças a Deus tenho a minha família perto de mim. Claro que gostaria que os meus outros familiares estivessem aqui. Mais louvo a Deus por ter minha esposa e filha aqui comigo.

Se pudesse escolher, qual o presente que gostaria de receber neste aniversário?

Gostaria que esta pandemia terminasse, que mais ninguém morresse é que tudo voltasse ao normal.

Há alguém que conheça que esteja a ser particularmente afectado pela situação atual?

Na verdade todos estamos afectados. A nossa vida mudou totalmente em todos os sentidos, mas também só depende de nós que tudo se resolva. É crucial que as pessoas tenham responsabilidade social e pensem no outro.

Como tem sido passar as 24 horas do dia ao lado da sua filha Maria Luísa? Já deu para ver que tem sido uma companhia nos treinos em casa…

Sim ela é a minha esposa. Não tenho palavras. Se não fossem elas sempre meu lado para me ajudar, seria muito difícil.

O que diz à sua filha Maria Luísa para justificar o momento actual?

Dizemos que há ‘bichinhos’ na rua e que, por isso, não podemos sair, mas que em breve tudo irá melhorar.

O que tem feito para atenuar os efeitos da paragem forçada nos treinos e jogos? Como tem sido ao nível da alimentação e exercício físico?

Temos uma excelente equipa de trabalho. Os treinadores e o ‘staff’ dão-nos todo apoio que precisamos. Elaboraram um plano específico de treinos e temos cumprido à risca, quer no exercício, quer na alimentação.

 

«Mensagem aos adeptos? Ainda vamos ter muitas alegrias»

 

Como estão os seus colegas de equipa? Têm conversado? Qual o sentimento geral?

Sim, temos falado muito para perceber se todos estão bem. Temos um grupo muito unido, onde todos os jogadores estão dispostos a ajudar o companheiro do lado. Somos uma família em todos os momentos, jogadores, equipa técnica, ‘staff’ e direcção. Estamos desejosos de voltar aos treinos normais e aos jogos.

Acha possível que o campeonato venha a terminar no próximo mês de Junho?

Se existirem condições para isso, sim. Essa é uma decisão das entidades competentes.

Caso isso não seja possível, qual a classificação que deveria prevalecer?

Essa é uma questão que será determinada pelas entidades competentes. Nós, jogadores, só temos de jogar.

Cumpre a sua segunda época no Vitória. Que o balanço da experiência?

Estou muito feliz e orgulhoso por representar este enorme clube. É uma honra para mim fazer parte da sua história.

Qual a sua opinião sobre o treinador Julio Velázquez?

É um dos melhores treinadores com quem já trabalhei. É muito exigente, ambicioso e inteligente. Estamos a aprender muito com ele.

Por último, que mensagem deixa aos adeptos do futebol e aos vitorianos em particular?

Em breve estaremos de volta. Juntos vamos vencer essa pandemia. Cumpram as regras e mantenham-se seguros em casa. Ainda vamos ter muitas alegrias.

 

Comentários

- Pub -