«Espero que o mister Velázquez continue na próxima época e por muitos mais anos»

9
visualizações

Em resposta às perguntas dos adeptos, o médio do Vitória, que deixou elogios a José Couceiro e Sandro Mendes, revelou objectivo de seguir carreira de treinador.

 

- Pub -

O Vitória FC tem por estes dias tentado atenuar a fome de bola dos seus adeptos com iniciativas em que estes têm a oportunidade de interagir com os profissionais do clube. Depois de na passada semana o treinador Julio Velázquez ter respondido às questões colocadas pelos vitorianos, foi a agora a vez de o capitão José Semedo, a partir de sua casa, estar em directo com os adeptos na página do Facebook do emblema verde e branco.

Um dos assuntos que suscitou mais interesse da parte dos adeptos foram os treinadores com que o médio trabalhou ao longo da sua carreira, sobretudo, em Setúbal. O jogador, de 35 anos de idade, falou de José Couceiro, Sandro Mendes e Julio Velázquez, técnico espanhol a quem teceu rasgados elogios, manifestando o desejo de o ver à frente dos destinos do clube muito mais tempo.

“Velázquez é o treinador com quem mais aprendi a nível táctico. É um treinador com muita ambição e fome de ganhar. É muito feroz nos treinos, tem uma ambição tremenda. A nível tático é um maestro, é muito inteligente. Durante um jogo, podemos ter três ou quatro tácticas diferentes. É a primeira vez que isso acontece na minha carreira, nunca tive nenhum treinador tão inteligente”, garantiu, partilhando um desejo seu. “Espero que o mister continue na próxima época e por muitos mais anos”.

José Semedo não esqueceu também José Couceiro, treinador que foi fundamental para poder cumprir o sonho de ingressar no Vitória na época de 2017/18. “Sempre tive o sonho de jogar no Vitória. Numa altura em que já não sonhava concretizá-lo, tenho de agradecer a todos os diretores do Vitória nessa altura e, sobretudo, ao mister José Couceiro. Se não fosse ele não estaria aqui, foi ele que me abriu as portas e a possibilidade de concretizar o meu sonho”.

O capitão dos setubalenses também não esqueceu Sandro Mendes, destacando todo o trabalho desenvolvido pelo antecessor de Julio Velázquez em todas as vezes em que esteve ao serviço do clube. “Sandro fez uma grande passagem pelo Vitória tanto como jogador como treinador. Nestas funções, penso que a sua passagem correu bem e a prová-lo está o facto de ter conseguido a manutenção”.

Instado a revelar qual o técnico mais marcante que teve até hoje, José Semedo é peremprório. “Todos me tocaram e sempre procurei retirar coisas boas de todos. Um dos que mais me marcou a nível humano foi o mister José Couceiro. Dentro do campo, o futebol ficou a perder por ter ido para a Federação, onde faz um enorme trabalho. É uma pessoa que respira futebol. Vi a forma como vibrava durante os treinos, o seu entusiasmo e forma como comunica. Somos grandes amigos e continuaremos a ser no resto das nossas vidas”.

Muitas saudades do relvado

O capitão do Vitória falou também da forma como está a viver sem poder treinar com os seus colegas no relvado. “A quarentena está a correr bem e a família também está bem. Estou ansioso por voltar às nossas rotinas, ao relvado e a estarmos juntos em equipa. Temos feito também por vezes treinos bidiários, todos juntos por videoconferência. As saudades são muitas e queremos muito começar a fazê-lo no relvado”, disse.

O jogador destacou a forma como os responsáveis do clube nas diferentes áreas têm apoiado a equipa durante a pandemia da Covid-19. “Deixo uma palavra de grande apreço por todos os directores, treinadores e departamento médico, que tem sido incansável para estarmos todos bem, procurando manter os nossos índices físicos. Têm sido extraordinários connosco nesta fase”, sublinhou.

Sobre a calendarização e o regresso às rotinas que tinham antes de terem sido suspensos os treinos e a competição, José Semedo é cauteloso. “Com a situação que vivemos é tudo muito imprevisível. O que sabemos neste momento é que em meados de maio começaremos a treinar. Não sabemos datas ao certo, mas a ideia é começarmos divididos, por grupos, dois a dois ou três a três, para começarmos a recuperar os níveis físicos e voltar à competição na melhor forma possível”.

«Não me retiro do Vitória sem o Cristiano vir ver um jogo no Bonfim»

Mais uma vez, o setubalense falou do sonho de menino que o acompanhou na vida adulta e que se concretizou há três anos. “O Vitória foi o único clube que sonhei jogar na minha vida. Nasci na cidade e quando passava de autocarro ou bicicleta no centro da cidade via o estádio do Vitória quando ainda não tinha ouvido falar noutros clubes. Queria pisar o relvado do Bonfim e concretizei esse objectivo. O meu sonho é terminar a minha carreira com o verde e branco do Vitória”.

José Semedo revela que já definiu o que deseja fazer depois de arrumar as chuteiras. “Irei estar junto ao relvado, como treinador principal ou adjunto. Toda a minha vida foi no futebol e desejo que assim continue. Ser treinador é uma área que me fascina bastante porque os treinadores têm um papel importante. Não é fácil porque há 24 ou 25 cabeças e tem de convencer que a sua mensagem convença essas cabeças. A tarefa de treinador é fascinante”.

Amigo de Cristiano Ronaldo, o médio sadino reitera que o capitão da Selecção Nacional estará um dia nas bancadas do Bonfim. “O Cris já me disse que quando não coincidir com os jogos dele vai fazer por me vir ver a mim e ao Vitória. Há de haver uma data no calendário em que nos joguemos num domingo ele um sábado para nos vir ver. Tenho a certeza de que não me vou retirar do Vitória sem o Cristiano vir ver um jogo no Estádio do Bonfim”.

Comentários

- Pub -