21 Janeiro 2021, Quinta-feira
- PUB -
Início Desporto “O clube que gostaria e quero continuar a representar é o ‘Enorme’”

“O clube que gostaria e quero continuar a representar é o ‘Enorme’”

“O meu maior sonho é, sem dúvida, chegar à primeira equipa do Vitória, tornar-me jogador profissional e jogar na I Liga”, revelou o jovem de 20 anos

 

- PUB -

O médio João Tomaz, jovem sub-23 do Vitória FC que se destacou esta época na Liga Revelação, é visto como aposta de futuro pelos responsáveis do clube setubalense, que deverão em breve prolongar o vínculo com o jogador de 20 anos. Em 2020/21, o médio vai fazer a pré-época com o plantel principal, passo que lhe permitirá deixar mais perto da realização do sonho de se envergar a camisola da equipa A vitoriana.

A confidência foi feita em resposta às questões colocadas pelos adeptos do Vitória na página oficial do Facebook do clube. “O meu maior sonho é, sem dúvida, chegar à primeira equipa do Vitória, tornar-me jogador profissional e jogar na I Liga”, disse o João Tomaz que contabiliza 21 partidas pelos sub-23.

 

- PUB -

O que significa para si representar o Vitória FC?

A sensação de jogar no Enorme é fantástica. Já jogo no Vitória há cinco anos seguidos. Todos os anos são especiais. O Vitória é um clube grande, o Enorme, como todos sabem, e é para mim um orgulho fazer parte da história do Vitória.

 

- PUB -

A Liga Revelação foi suspensa antes de terminar. O que sentiu ao ser tomada essa decisão?

Fica um sabor amargo por não terminarmos o campeonato, estávamos a fazer uma boa época, apesar de não termos cumprido o objetivo de passar à fase de apuramento de campeão. Estávamos em 1.º no grupo de apuramento na Taça de sb-23, a equipa estava confiante e é uma pena terminar assim. A vida continua, para a próxima época há mais.

 

Como tem sido a sua quarentena?

Tenho treinado todos os dias. O nosso preparador físico, Sérgio Mourato, fez-nos um plano de treinos para fazermos em casa todos os dias. Tem sido difícil porque estou ansioso por voltar ao relvado. Trabalhamos dentro das limitações que temos, sempre protegidos. É difícil manter os índices físicos porque é já muito tempo em casa e com o armário dos doces aqui perto! O trabalho é o mais importante e temos de manter os índices físicos.

 

O que mais o marcou no seu percurso nos escalões de formação?

O mais marcante foi ter vindo para o Vitória. Era um sonho de pequenino por ser um clube enorme perto da cidade onde vivo, Montemor-o-Novo. Sempre tive o sonho de jogar no enorme. Quando pude assinar pelo Vitória foi o dia que mais me marcou.

 

Qual o seu percurso antes de chegar ao Vitória?

Comecei a jogar no Grupo União Sport [em Montemor-o-Novo] com quatro anos. Estive lá a maior parte da minha carreira. Depois fui um ano para o Estrela de Vendas Novas e já estou há cinco anos no Enorme. Espero que essa caminhada continue.

 

De que tem sentido mais saudades nesta fase?

Sem dúvida alguma de tocar na bola no relvado e estar com os meus colegas no balneário, no campo, as brincadeiras. Estávamos todos os dias com os nossos colegas e depois passámos para uma fase em que não o podemos fazer nem tocar numa bola. Já lá vão quase dois meses sem tocar na bola nem ver os colegas. É muito difícil.

 

Quais as suas expectativas para 2020/21?

Continuar a trabalhar para estar o melhor preparado possível para a próxima época. Trabalho todos os dias para chegar à equipa principal. Vamos ver o que acontece na próxima época.

 

Qual o seu maior sonho?

O meu maior sonho é, sem dúvida, chegar à primeira equipa do Vitória, tornar-me jogador profissional e jogar na I Liga.

 

Onde se imagina daqui a cinco anos?

Não sei. Vou trabalhar dia-a-dia. Nunca sabemos o dia de amanhã.

 

Qual a sua principal referência no futebol?

Identifico-me muito com Xavi, ex-jogador do Barcelona, é um dos meus jogadores preferidos.

 

O que é necessário fazer para se ser um jogador completo?

Tem de se fazer tudo bem dentro e fora do campo. O treino invisível é o mais importante, a alimentação, o treino fora do futebol, as saídas à noite… Depois a qualidade e o empenho levam um jogador a ser completo.

 

Vê-se a ir para um clube internacional?

O meu foco é o Vitória, é o clube que quero ajudar ao máximo. Todos os jogadores têm sonhos, mas o clube que gostaria e quero continuar a representar é o Enorme.

 

Como vê a política do clube de apostar nos jovens oriundos da formação…

Deve ser valorizado. Queria enaltecer a aposta do Vitória na formação, tem sido exímia. É devido a essa aposta que jogadores da formação chegam à equipa principal como o André Sousa, o André Pedrosa e o João Valido.

 

 

Ricardo Lopes
Jornalista
- PUB -

Mais populares

Secundária Sebastião da Gama suspende aulas presenciais para alunos mais velhos até dia 26

Sete funcionários da escola em isolamento profiláctico obriga a alunos dos 11.º, 12.º e ensino nocturno a terem aulas em casa   Os alunos dos 11.º...

Alteração à sinalização na Volta da Pedra cria transtornos na circulação automóvel

Presidente da autarquia de Palmela e director da Infraestruturas de Portugal reuniram no local e apresentaram soluções A alteração à sinalização horizontal recentemente efectuada na...

Dois doentes com Covid transferidos do S. Bernardo para o Hospital das Forças Armadas

Polo de Lisboa da unidade hospitalar militar recebeu ontem 10 doentes infectados. Dois chegaram do hospital de Setúbal   O Hospital São Bernardo, em Setúbal, transferiu...
- PUB -