Futebol sénior continua a ser uma hipótese mas nada está garantido

20
visualizações

O clube tinha um investidor brasileiro preparado para avançar mas está tudo por decidir devido ao Covid-19.

 

- Pub -

O Atlético Clube de Arrentela é uma das colectividades de referência do concelho do Seixal. Está muito perto de atingir o centenário (tem 94 anos), ao longo dos tempos conquistou vários títulos regionais em diversos escalões e viu nascer para o futebol José Henrique, guarda-redes que ficou conhecido por “Zé Gato” e Luís Boa Morte, entre outros.

 

O clube que procura reactivar o futebol sénior, suspenso há cinco anos, tem passado por algumas dificuldades de ordem económica mas com o esforço ultimamente desenvolvido está a recuperar, embora de quando em vez tenha sofrido um ou outro dissabor, como foi o caso de dois assaltos sofridos nas duas últimas semanas.

 

António Cunha, o actual presidente, com uma gestão bastante criteriosa, já conseguiu atenuar 30 mil euros à dívida que encontrou quando chegou ao clube. E, este respira agora de forma mais aliviada.

 

“Enquanto eu for presidente o clube não vai morrer”, garantiu ao nosso jornal António Cunha.

 

O Atlético Clube de Arrentela foi recentemente alvo de dois assaltos. Os prejuízos foram muito elevados?

No primeiro assalto danificaram as portas mas não tiveram sucesso em abrir as mesmas. Já no segundo assalto conseguiram abrir as portas e roubaram bolas, equipamentos e também tiraram os cofres das paredes mas não levaram dinheiro algum. O prejuízo foi avaliado em cerca de 800 euros, em material estragado nas duas secretarias.

 

Nos últimos tempos o clube tem passado por algumas dificuldades de ordem financeira. Qual é o ponto da situação, tem melhorado?

Em Maio de 2018, quando fui eleito presidente, assumi uma herança de uma dívida às finanças no valor de 70 mil euros que agora está no valor de 40 mil. Derivado ao trabalho social que o clube tem feito, onde mais de metade dos atletas não pagam mensalidades por dificuldades financeiras, não é fácil fazer a gestão do clube mas mesmo assim não contraímos qualquer dívida e cumprimos sempre com os ordenados aos nossos funcionários, 19 no total. Agora, com a maior capacidade para investir em melhor material (equipamentos, cones, balizas, etc…) e na qualidade dos treinadores, estamos bem melhor.

 

Que modalidades são praticadas no clube actualmente?

Antes da pandemia tínhamos o futebol com escalões desde petizes a juniores, Muay Thai onde o treinador Fábio Teixeira tem produzido vários campeões nacionais e europeus, Futsal com uma equipa de veteranos e outra de seniores que subiu recentemente à I Liga do concelho e detém o título de campeão da supertaça e ainda a Zumba e o Crossfit.

 

Devido à pandemia por Covid-19, a época terminou mais cedo. Qual o balanço que pode ser feito?

No futebol de 7 a qualidade das equipas tem melhorado gradualmente devido à qualidade dos treinadores, principalmente do Mister Nuno Casaleiro que veio ajudar imenso e no futebol de 11, os juvenis ganharam muita força com a vinda do Mister André Branco. Os maiores prejudicados foram os juniores que tinham potencial para subir de divisão não só pelo investimento feito mas também ao trabalho realizado por todos os jogadores e pela equipa técnica comandada pelo Mister Paulo Bicho como ficou bem patente no resultado do último dérbi realizado com o Seixal no Estádio do Bravo de onde saímos vitoriosos por 4-0.

 

Recentemente o clube manifestou vontade em fazer regressar o futebol sénior. Ainda se mantém essa intenção?

O clube tinha um investidor brasileiro para avançar com um projecto nesse sentido orientado pelo treinador Luís Miguel Oliveira mas derivado ao Covid-19 está tudo ainda por decidir, mas a vontade mantém-se.

 

Como está o clube a viver a actual situação causada pela pandemia?

O clube mantém-se fechado mas a cumprir com as suas obrigações, apesar das grandes dificuldades que sentimos em arranjar dinheiro para pagar as mesmas.

 

Tem algo mais para dizer?

Queria aproveitar para agradecer à Câmara Municipal do Seixal, à União das Juntas de Freguesia, aos três patrocinadores que ajudaram esta época (Ora Escolha, Pleno Investe e Quinta Vinha da Ribeira), aos representantes da Adidas (Paulo Junqueira e Carlos), por toda a ajuda prestada nos últimos dois anos, a todos os funcionários e treinadores que lutam todos os dias em prol desta grande instituição. E, por fim, desejar a todos muita saúde e pedir para se manterem em casa para pudermos ultrapassar esta situação o mais rápido possível.

 

Comentários

- Pub -