“Esta equipa ficará na história do clube por ser a primeira a chegar à Liga BPI”

7
visualizações

“Este percurso foi feito sem truques, com honestidade, muito trabalho e muito compromisso”, salienta o presidente do clube Carlos Henriques.

 

- Pub -

O futebol feminino do Amora está de parabéns porque acaba de conquistar o direito de participar na próxima época na principal competição desportiva do País, que foi reformulada e será disputada em novos moldes.

Com uma equipa recheada de bons valores, de onde sobressai a melhor marcadora do campeonato, o Amora foi promovido pelo facto de ter sido o vencedor da sua série, na primeira fase da competição, depois de luta intensa com o Paio Pires.

Neste momento de profunda felicidade para o clube, que acabou de completar 99 anos de existência, impunha-se ouvir o presidente da direcção, Carlos Henriques.

 

Devido à forma abrupta como o campeonato terminou, alguma vez pensou neste cenário?

Sim acreditei sempre, apesar da interrupção e consequentemente a finalização dos Campeonatos. Tinha a plena confiança que iria ser dado valor ao mérito e à competência, as minhas jogadoras e equipa técnica podem testemunhar a minha confiança nesta ou noutra decisão que contemplaria sempre o Amora FC.

 

Esta foi a melhor solução para resolver o problema?

Acho que foi a decisão mais elegante para dar mérito a quem terminou a primeira fase em primeiro lugar. No entanto, achava que a decisão também poderia ser outra, mas o Amora FC estaria sempre nas decisões para a subida de divisão.

 

Há quem não concorde com o critério aplicado; ou seja, com a subida dos vencedores das séries da primeira fase?

Como é evidente qualquer que fosse a decisão, obviamente que não ia agradar a todos, mas como disse atrás, penso que foi a possível e que menos contestação terá.

 

O objectivo do Amora sempre foi, desde o início, a subida de divisão. Considera ter sido um prémio justo?

Eu diria que foi justíssimo. O Amora FC preparou-se para disputar a subida de divisão. Os nossos adversários reforçaram-se e nós como é óbvio também tivemos que o fazer, fazendo algumas alterações em Janeiro, mas sempre na competência das atletas portuguesas. O projecto, a História do Amora e as condições oferecidas, fizeram com que as atletas escolhessem o Amora porque poucas equipas no nosso País conseguem dar aquilo que nós damos.

 

Na próxima temporada o orçamento vai ser certamente maior devido às exigências da competição. Vai haver uma aposta mais forte em termos de plantel?

Como toda a gente sabe, o Covid-19 veio alterar muita coisa, irão com certeza existir mais dificuldades mas o Amora FC está consciente e a trabalhar para continuar a aposta no Futebol Feminino, à semelhança do que fez esta época. Sobre o plantel, já existe algum trabalho de scouting. Na altura própria conversaremos com as atletas mas posso adiantar que queremos ficar com a maioria delas. Depois, a partir daí poderemos pensar em reforçar a equipa que já é muito boa.

 

Que significado e importância tem para o Amora a subida à 1.ª divisão nacional?

Está a fazer 40 anos quando conseguiu pela primeira vez na sua História colocar uma equipa de futebol no mais alto patamar do futebol nacional, foi em 1979/80, com a equipa sénior masculina. Agora, 40 anos depois, pela mão da sua equipa feminina conseguimos estar novamente no mais alto patamar do futebol português. Portanto, o significado é muito grande e ficará para sempre na História do Amora Futebol Clube porque será a primeira vez que chega à Liga BPI, a maior competição no País de futebol feminino. Isto é evidentemente motivo de orgulho para todos os amorenses e também motivo de orgulho para a Cidade de Amora.

Comentários

- Pub -