Plantel dividido em dois grupos já faz treinos colectivos no Bonfim

13
visualizações

Horários distintos reduzem probabilidade de contágio entre os profissionais sadinos

 

- Pub -

Depois de uma semana a treinar a equipa do Vitória FC dividida em quatro grupos de sete jogadores, o treinador Julio Velázquez iniciou ontem os treinos colectivos já com dois grupos maiores. A mudança só foi possível depois de os resultados do segundo rastreio à Covid-19, realizados na sexta-feira, terem revelado que nenhum sadino está infectado.

No Estádio do Bonfim, o técnico espanhol orientou a primeira sessão da semana com o plantel dividido em dois turnos distintos. O primeiro, composto por 13 atletas, evoluiu no relvado entre as 9 e as 10:30 horas, enquanto o segundo, formado por 14 elementos, cumpriu o mesmo apronto entre as 11 e as 12:30 horas.

Seguindo todas as medidas de contingência previstas no protocolo, os jogadores chegaram equipados de casa, foram alvo de um controlo de temperatura e sintomas e abandonaram o relvado por uma porta diferente, evitando assim o contacto. Para hoje estão agendados mais dois treinos. O grupo 1 iniciará a primeira sessão às 9 e a segunda às 17 horas. O grupo 2 fá-lo-á às 11 e às 18:15 horas.

Entretanto, o Vitória chegou a acordo para a renovação do contrato com o médio João Tomaz por mais duas épocas, anunciou o clube na sua página oficial. O jogador, de 20 anos, que foi um dos elementos em destaque na Liga Revelação, prova de sub-23 em que alinhou em 21 partidas, quer agora retribuir a confiança que os responsáveis sadinos depositaram nele.

“Esta renovação traduz-se num duplo sentimento. Ao mesmo tempo que sinto que é um objetivo e um dever cumprido pelo meu empenho e dedicação, também sinto que isso se reflete no reconhecimento da direção do clube, que acredita no meu trabalho. Por isso, devo o meu agradecimento, na certeza de que não irei desiludir nem desperdiçar esta oportunidade”.

João Tomaz vai em 2020/2021 realizar a pré-temporada com a equipa principal. “São já cinco anos a envergar o símbolo deste clube, que tem uma história enorme. Quero continuar a trabalhar, a ajudar e a contribuir para essa mesma história. A responsabilidade é enorme, pela grandeza do clube e pelas exigências que isso acarreta, mas é essa responsabilidade que me motiva. Quero dignificar este símbolo e a dar alegrias aos nossos adeptos que tudo merecem pela dedicação e apoio que nos têm dado. É para mim um grande orgulho ser jogador do Vitória”.

O jovem médio, que chegou ao Bonfim em 2015 e é visto como uma das grandes promessas do Vitória, tem os seus objectivos bem definidos. “Passam sempre por um espírito coletivo. É certo que quero estar sempre bem e sem lesões, mas isso só faz sentido se for aliado ao contributo que quero dar ao clube, potenciando o meu desempenho em prol dos resultados positivos do Vitória”.

Comentários

- Pub -