“Almada está a construir um projecto de futuro com cabeça, tronco e membros”

21
visualizações
Treinador Rui Lourenço

Na próxima época vai ter uma equipa de sub-15 e fazer uma aposta mais forte na equipa sénior, adianta o treinador Rui Lourenço.

 

- Pub -

O Almada Atlético Clube, que esta época fez a sua estreia no futebol feminino, vai fazer uma aposta mais forte na nova temporada, não só a nível da equipa sénior que disputa a 2.ª Divisão Nacional mas também a nível da formação com a criação de uma equipa de sub-15.

O arranque da época foi complicado mas com o decorrer do tempo as coisas foram-se compondo e os resultados positivos começaram a surgir deixando os mentores do projecto optimistas em relação ao futuro.

Nesta entrevista, Rui Lourenço falou das dificuldades que sentiu no arranque do projecto, da forma como a equipa foi evoluindo e das perspectivas para a nova temporada, que já começou a ser preparada.

 

Que balanço faz da época que assinalou o arranque da modalidade no clube?

Este era o ano zero de uma aposta que a direcção tomou em boa altura. Sabíamos que o início iria ser complicado e de facto tivemos alguma dificuldade em ter atletas na fase inicial, apesar da publicidade feita para a realização dos treinos de captação. Almada é uma cidade muito grande mas a receptividade não foi muita. Conseguimos arranjar 10 atletas mas a maior parte delas não tinha experiência de futebol porque vinham de outras modalidades, nomeadamente do andebol e basquetebol. Aos poucos, fomos construindo um plantel de 23 jogadoras que fizeram um balneário muito forte e coeso. As que entraram em Dezembro vieram trazer mais qualidade, nomeadamente a Dina Almeida que veio do Cadima e algumas atletas que vieram dos Pescadores. Fomos somando derrotas mas sabíamos que as vitórias mais tarde ou mais cedo iriam aparecer, conseguimos vencer os Pescadores e logo a seguir o Barreirense. A direcção do clube esteve sempre connosco, nunca fez qualquer tipo de pressão, os sócios foram-se aproximando e não podíamos estar mais felizes.

 

Quer dizer que foi uma experiência motivante?

Como já disse, sabíamos que o início não iria ser fácil. Aconteceu o mesmo quando há 10 anos iniciei o projecto de futebol feminino no Paio Pires. Só tínhamos derrotas e mais de 100 golos sofridos mas com uma vitória para a Taça de Portugal, tudo mudou. E aqui no Almada foi a mesma coisa. Acredito que na Taça de Promoção iriamos ter uma palavra a dizer porque é muito mais fácil trabalhar sobre vitórias do que sobre derrotas. Quando se começa do zero é sempre assim, mas foi bom ver a equipa crescer e as atletas evoluírem.

 

E em relação à próxima época já foram definidos os objectivos?

Sim, temos tido todo o apoio da direcção e principalmente do Presidente João Vieira bem como do nosso principal patrocinador, Carlos Abrantes, que tem sido o garante da nossa sobrevivência. A grande novidade será a criação de uma equipa de sub-15 que irá competir nas provas associativas. Dentro de pouco tempo irão ser dadas mais informações acerca das captações que iremos fazer. Em relação à equipa de futebol sénior vamos fazer uma aposta mais forte. Cerca de 70% do plantel vai continuar mas haverá também algumas entradas. Estamos atentos às dispensas de alguns clubes da região, fomos contactando algumas atletas que se encontram insatisfeitas e já temos cinco ou seis jogadoras novas para lugares que precisávamos. Temos também garantido o regresso da Ana Rita Zorrinho que havia saído no início da época para uma equipa da 1.ª Divisão e contamos poder contar ainda com mais dois ou três reforços para completarmos o plantel.

 

As perspectivas para o futuro são animadoras?

O futebol feminino está hoje num plano bastante elevado mas nós não vamos dar o passo maior que a perna, queremos subir um degrau de cada vez. Daí a aposta que vamos fazer na equipa de sub-15 e na época seguinte procuraremos criar uma outra de sub-19. Estamos a criar um projecto de futuro com cabeça, tronco e membros porque queremos começar a construir a casa pelos alicerces e não pelo telhado. Não vamos dizer que teremos uma equipa para subir ou para ir à fase final mas sim uma equipa competitiva que vai deixar os almadenses orgulhosos.

 

Comentários

- Pub -