«Estamos em 11.º e queremos ficar mais acima na classificação»

5
visualizações

Julio Velázquez revela ambição quando questionado pelas contas da permanência

 

- Pub -

Preocupa-o o facto de o Vitória estar há oito jornadas sem vencer?

Estou muito contente com o desempenho da equipa. É certo que ultimamente não temos conseguido ganhar, mas estamos há quatro jogos consecutivos sem perder. Nesse período ficámos sempre, incluindo no jogo com o Benfica (1-1), com a possibilidade de ganhar. Prefiro olhar para o lado positivo. Além disso, se contextualizarmos situações como orçamento e condições esta direcção, clube e jogadores têm muito mérito no que estão a fazer. Ter a margem que temos [nove ponto] sobre os lugares de descida é motivo de orgulho. Temos de olhar mais para o lado positivo. Estamos numa boa situação.

O Vitória joga hoje com o Boavista no Bessa, estádio onde não vencem desde 1990…

Não gosto muito de analisar esses dados. Para mim é igual que sejam 30 ou 60 anos. Cada época é diferente. Vamos ao Porto jogar com o Boavista com a vontade absoluta de conseguir os três pontos e não apenas para pontuar. É um jogo difícil contra uma equipa forte, equilibrada, compacta e que vem de um resultado muito positivo (triunfo 1-0 em Braga). Estamos muito bem e temos muita vontade de fazer as coisas bem, conseguir os três pontos e deixar os adeptos em casa orgulhosos da sua equipa.

Com nove pontos a separar a equipa da ‘linha de água’ sente que estão numa posição tranquila?

Tenho uma virtude que, às vezes, é um problema. Nunca fico tranquilo porque quero sempre mais. Se estivermos em oitavo na tabela quero chegar ao quinto, se estivermos em 17.º quero ficar em 14.º. Estamos agora em 11.º e queremos ficar mais acima na classificação. Estou tranquilo, isso sim, porque o grupo trabalha espetacularmente bem e temos uma direcção e um clube que faz tudo, dentro das suas possibilidades, para que possamos ter uma dinâmica de trabalho normal. Quero sempre mais, gosto de ser ambicioso e que trabalhemos sem nos deslumbrarmos. Nunca me vou conformar, nem aqui nem em nenhum sítio.

Já decidiu se o seu futuro passa por continuar em Setúbal na próxima época?

Estou muito feliz na cidade e no clube, tanto com a direcção, os trabalhadores e os jogadores. Há uma sinergia muito positiva. Assinámos em Novembro, numa situação difícil, e graças a Deus saiu tudo muito bem a nível de resultados e jogo. Para mim, o respeito e carinho dos adeptos é o mais importante. Agradeço muito as palavras que o presidente e o director desportivo sempre disseram sobre a intenção de poderem contar comigo no projecto. O nosso foco é o dia-a-dia, jogo a jogo e à medida que a competição vai avançando vamos falando para ver o que é melhor para todas as partes. É incrível a sinergia que há com os adeptos quando podiam vir ao estádio e na rua. Considero-me um vitoriano mais.

Comentários

- Pub -