“Os Amarelos” estão preparados para o arranque da nova época desportiva

10
visualizações

“Temos definido o plano de contingência consoante as condições existentes. Quando voltarmos, o regresso será feito em segurança”, garante o coordenador técnico Luís Gonçalves.

 

- Pub -

O Grupo Desportivo “Os Amarelos”, medalha de honra da cidade de Setúbal, que se dedica à prática do futebol juvenil há 64 anos, está preparado para o arranque da nova época desportiva.

“Já temos tudo planeado”, disse ao SETUBALENSE o coordenador técnico do clube, Luís Gonçalves. “Se tudo correr como se espera e a Direcção Geral de Saúde der luz verde para que algumas restrições possam ser levantadas, principalmente no que respeita ao número de atletas participantes no treino, pensamos começar o futebol de 11 na segunda ou terceira semana de Agosto e os escalões, do futebol de 7 para baixo, no início de Setembro, de modo a termos tempo para fazer as captações necessárias para concluir os diversos escalões. Depois, teremos os treinos de técnica individual e as aulas de fitness outdoor, que são uma novidade no clube, que devem começar após as apresentações dos diversos escalões. De referir que estes serviços surgem com o objectivo de gerar mais uma fonte de rendimento e dar mais vida ao clube”.

Neste momento ainda nada se sabe sobre o início da nova temporada mas isso não constitui grande obstáculo para o clube porque “aproveitámos as férias antecipadas para começar logo a trabalhar com vista à próxima época. As equipas técnicas já estão basicamente definidas, falta apenas preencher algumas vagas na parte médica. Só estamos à espera que chegue o timming certo para começar”, realçou Luís Gonçalves.

Quando houver luz verde para começar tem que haver condições não só a nível de segurança mas também a nível de instalações. Mas também neste caso não há qualquer tipo de problema.

“Apesar das condições não serem as melhores em termos de balneários temos já definido o plano de contingência para o regresso à actividade. Está tudo pensado consoante as condições existentes e quando voltarmos, o regresso será feito em segurança para todos, treinadores, jogadores e encarregados de educação”, garante o coordenador técnico da popular colectividade sadina.

Na época passada o clube tinha quatro escalões de formação, que em números redondos davam um total de 80 jovens a praticar futebol mas na próxima época o objectivo passa por ter seis equipas e chegar aos 100 atletas. “Quem se quiser juntar a nós é bem-vindo em qualquer escalão, estamos receptivos a receber todos e dispostos a integrá-los nesta família”, realça Luís Gonçalves que tem algumas ideias que quer colocar em prática para angariar apoios para o clube.

“Praticamente todo o orçamento do futebol de formação é sustentado pela mensalidade dos atletas, sendo os lanches e as inscrições suportados pelo clube. Os apoios que existiram no passado foram pontuais e a maioria surgiu como forma de garantir os equipamentos de jogo. A partir da próxima época queremos implementar um plano de patrocínios que vão desde os 10€ por mês (o nível mais baixo) até aos 50€ (o nível mais alto). O objectivo consiste em obter o maior número de parceiros possível. Será importante não só em termos económicos mas também para associar um maior número de pessoas ao clube, ganhando ambas as partes mais visibilidade. Estes planos vão desde a publicidade online à publicidade nos equipamentos, no campo de futebol e até ao próprio naming dos diversos escalões”.

Em relação aos objectivos para a nova época, o responsável pelo futebol de “Os Amarelos” diz que passam por “continuar a promover o desenvolvimento do clube e o futebol de formação, de modo a garantir melhores condições e aumentar a sua visibilidade. Em termos desportivos queremos ser competitivos em todos os escalões para que os atletas possam evoluir. Aliás, este deveria ser o objectivo de todos os clubes no que ao futebol de formação diz respeito”.

Antes de concluir a nossa conversa Luís Gonçalves fez questão de referir que o Grupo Desportivo “Os Amarelos” está a preparar tudo para “começar a 100% no aspecto desportivo, de segurança, comunicação e também no aspecto social, que daqui para a frente será determinante. Queremos ser um bom exemplo para os bairros que representamos e, neste sentido, tentaremos levar a cabo diversas campanhas e angariações de modo a fazer chegar ajuda a quem mais precisa. O futuro joga-se de amarelo e azul”.

Sobre a actual situação de pandemia, o coordenador de “Os Amarelos” lamenta a foram súbita como tudo aconteceu e que levou à suspensão das competições. “Foi a decisão necessária e correctamente tomada por quem tinha essa responsabilidade”.

 

Comentários

- Pub -