Julio Velázquez frisa importância de corrigir erros para voltar a conquistar os três pontos

16
visualizações

Sadinos jogam no Bonfim com objetivo de interromper ciclo de nove jogos sem vencer

 

- Pub -

Depois de nove jogos sem vencer na I Liga, o Vitória FC procura hoje, no Estádio do Bonfim, frente ao Rio Ave, voltar a celebrar a conquista dos três pontos, algo que já não acontece desde 26 de Janeiro, dia em que os sadinos ganharam 3-0 em Tondela. Para terem êxito, o treinador Julio Velázquez alerta para a necessidade de concentração máxima de forma a rectificar os erros cometidos nas últimas partidas.

“Vamos tentar fazer um bom jogo frente a uma equipa muito boa. Será um jogo difícil, mas vamos com vontade de fazer um bom jogo e dar continuidade ao que de bom temos vindo a fazer, bem como corrigir alguns erros que temos cometido e que nos tem impedido de ter mais pontos”, disse o técnico espanhol na conferência de imprensa de antevisão ao duelo com os vila-condenses.

Frente ao actual sexto classificado do campeonato, o Vitória, 12.º, terá pela frente um obstáculo difícil de transpor, mas isso não retira optimismo ao técnico espanhol. “Vamos defrontar um rival muito forte, com jogadores de enorme qualidade e que tem vindo a fazer as coisas muito bem. Porém, vamos tentar fazer um jogo como nós queremos, colocar dificuldades e fazer tudo para ganhar”.

Apesar de estarem em posições distintas na classificação, Julio Velázquez considera que ambos os clubes têm pontos em comum. “São duas equipas que vão fazer tudo para ganhar, que gostam de um jogo positivo e de jogar no meio-campo adversário. Acho extremamente positivo quando se fala de uma equipa que aspira posições europeias, como o Rio Ave, e outra que luta pela manutenção, como o Vitória, e se possa equiparar as ideias”.

Depois da derrota (3-1) de quinta-feira com o Boavista, o treinador dos setubalenses refere que o trabalho esteve focado na recuperação da equipa que, garante, está “em boas condições físicas, anímicas, tácticas e técnicas” num jogo em que o Vitória tem o argentino Mansilla (castigado) e o italiano Antonucci (devolvido à Roma) impedidos de dar o contributo à equipa.

Tal como já tinha feito há uma semana, o técnico, de 38 anos, voltou a considerar que “todos devem estar orgulhosos” do facto de a equipa dispor, à partida para a 28.ª jornada, de nove pontos de vantagem para a linha de água. “Sabem as limitações que temos a nível orçamental, de infra-estruturas, etc. Ver o Vitória neste momento, quando faltam ainda disputar sete jornadas, ter nove pontos de vantagem para a zona de descida, é motivo de orgulho para todos”.

E acrescenta: “A equipa está a fazer coisas extraordinárias e com um pouco mais de concentração e um pouco menos de erros pontuais poderíamos ter mais pontos. O que posso prometer é que vamos ter sempre o máximo de profissionalismo e responsabilidade na defesa deste símbolo e da sua história”, disse Julio Velázquez antes de anuciar a saída do clube do italiano Mirko Antonucci, atacante que estava desde Janeiro em Setúbal cedido pela Roma.

Italiano Antonucci devolvido à Roma

“Mirko Antonucci já não é jogador do Vitória. Comunicou-se ao seu clube de origem, a Roma, que o empréstimo termina agora e que não contamos mais com o jogador, sobretudo por respeito aos adeptos e à história do clube e por todos os que trabalham o dia-a-dia para representar com a maior responsabilidade e dignidade esta equipa”, disse sem especificar os motivos da cessação do vínculo.

“Pelo que representa este símbolo, pela história do clube e por respeito aos adeptos, um jogador do Vitória de Setúbal tem de o ser 24 horas por dia. A situação é muito simples, o clube, a direcção, equipa técnica e staff entenderam que o comportamento de um jogador que estava emprestado não era o que queremos para um jogador do Vitória nem que os adeptos merecem 24 por dia, dentro e fora do relvado”, referiu.

O anúncio surge depois de Mirko Antonucci, que contabilizou seis partidas pelo conjunto setubalense na I Liga, ter no domingo publicado na sua conta de Instagram uma mensagem com um pedido de desculpas. “Esta mensagem é para dizer que tenho plena consciência dos erros que fiz. Gostaria de pedir desculpa a todos aqueles que se sentiram ofendidos: adeptos, clube, treinador, companheiros. Vou sair das redes sociais e a partir de agora só vão ver-me suar a camisola do Vitória de Setúbal até à última gota”, escreveu o atacante antes de a decisão do fim da ligação lhe ter sido comunicada.

O Setubalense – Diário da Região sabe que na origem da decisão estarão, entre outros motivos, publicações do jogador na rede social Tik Tok após a derrota com o Boavista, situação que foi considerada a gota de água para um jogador que já tinha em várias ocasiões sido alertado pelos responsáveis sadinos para a necessidade de se resguardar desse tipo de situações.

 

Comentários

- Pub -