«Tenho crença máxima nesta equipa e de que vamos conseguir a manutenção»

16
visualizações

Setubalenses jogam amanhã (19:15) duelo de Vitórias em Guimarães

 

- Pub -

Na antevisão ao jogo de amanhã (19:15 horas), em Guimarães, Julio Velázquez, treinador do Vitória FC, falou sobre o atual momento dos sadinos, garantindo que o grupo tudo fará para se reencontrar com os êxitos depois de 10 jornadas sem vencer. Apesar do jejum de triunfos, o técnico espanhol faz um balanço positivo da época. “Na generalidade, estamos a fazer uma época positiva. Se tivesse um Ferrari era melhor que ter o carro que tenho. Se tivesse uma casa com jardim também era melhor. Temos os pontos que temos. Se tivéssemos 37 pontos era melhor que 30”, disse, referindo que “alcançar a manutenção é a Champions League da equipa”.

 

Após a derrota com o Rio Ave, como trabalhou a equipa nos dias que antecedem o duelo de terça-feira no reduto do V. Guimarães?

Fizemos uma semana de trabalho normal. Falámos entre todos e demo-nos conta de que há situações a corrigir. Tenho crença máxima nesta equipa, que tem grandes profissionais e, todos juntos, vamos conseguir a manutenção que, para este clube, com o nosso orçamento, é a nossa Champions League. Somos ambiciosos e olhamos para cima, mas temos consciência da realidade e do orçamento. Neste final de época é muito difícil arranjar um ponto.

Está preocupado pelo facto de a equipa estar agora com seis pontos de avanço para a linha de água quando há quatro jornadas dispunha de 12?

Na generalidade, estamos a fazer uma época positiva. Se tivesse um Ferrari era melhor que ter o carro que tenho. Se tivesse uma casa com jardim também era melhor. Temos os pontos que temos. Se tivéssemos 37 pontos era melhor que 30! Mas temos 30 e temos de valorizar a época positiva que estamos a fazer. Por todo o trabalho feito pelos grandes profissionais que temos no clube, claro que gostaríamos de já ter os pontos da manutenção ficaria super feliz pelos jogadores e adeptos.

A realidade é a que é. Temos 30 pontos e ainda temos de continuar a trabalhar com uma mentalidade extremamente positiva, dignificando a grande história deste clube e os seus adeptos. Continuamos a lutar para conseguir a manutenção. Quantos pontos são necessários? Não sabemos, mas como temos 30 e não os 35 que já poderíamos ter temos de continuar. Preocupação? Nenhuma. Ocupação? Toda a do mundo. Estamos seis pontos acima da linha de água e não debaixo! Temos de ser positivos.

Que análise faz ao V. Guimarães?

Tem uma grandíssima equipa, de grande qualidade, um plantel com muitas alternativas em todas as posições. Pela história, pelo orçamento que tem e pelo seu plantel, é um clube que tem de lutar por vagas europeias. Imagino que têm a pressão de que não podem deixar que o Rio Ave e Famalicão fiquem com muita distância na luta pela Europa. Nós também temos a nossa luta que é conseguir a manutenção.

Têm muitos pontos fortes, mas também têm pontos fracos. Vamos tentar que se evidenciem mais os pontos fracos que os fortes. É um dos melhores planteis da Liga e este jogo não tem nada de fácil. Com as nossas possibilidades, vamos tentar fazer o jogo que nos possa deixar mais perto de tentar ganhar.

Quando aceitou o desafio de treinar o Vitória pensou que iria ser tão complicado atingir o objectivo da permanência?

Pensava que podia ser muito mais. Em linhas gerais, estamos a fazer uma época positiva. Falamos de uma equipa com grande história, mas a realidade há muitos anos é que há dívidas de há muitos anos, esta época tem o orçamento mais baixo da Liga e que às vezes consegue a manutenção nos últimos jogos. Estamos numa situação totalmente normal.

 

Futuro Museu em marcha no Bonfim

O Vitória FC iniciou os trabalhos de recuperação e catalogação dos troféus, taças e acervo documental, que deverão culminar com a construção do futuro museu Josué Monteiro, informou o clube sexta-feira na sua página oficial na Internet. O objectivo da empreitada passa por contribuir para a recuperação da memória colectiva do emblema fundado a 20 de Novembro de 1910. “A missão passa por concretizar uma das principais necessidades do clube e criar um espaço digno que espelhe, com orgulho, a sua longa história desportiva e social de quase 110 anos”.

O Vitória pretende retomar a recuperação dos milhares de troféus que possui, trabalho que tinha sido interrompido em Novembro de 2015 quando a Câmara Municipal anunciou o corte de relações com a direcção então liderada por Fernando Oliveira. “Foi criada uma sala de reserva que ocupa cerca de 107 m2, reúne as condições ideais para a reserva, conservação e arquivo dos milhares de troféus que se encontravam divididos em seis espaços distintos – 708 deles já inventariados e conservados no âmbito de um protocolo estabelecido com o Município de Setúbal em 18 de maio de 2011, e que se pretende reactivar”.

A sala que vai no futuro albergar o espólio encontra-se dividida em espaços distintos que vão dotar a infraestrutura com todas as condições de armazenamento. “A referida sala foi dotada com equipamento de segurança contra intrusão, ar condicionado para estabilização e controle da humidade e temperatura, e inclui três áreas para confinamento de taças e troféus (52 m2), uma para arquivo de Documentos Históricos (19 m2), um Gabinete de Tratamento, uma Sala para ‘quarentena’ de taças e troféus intervencionados e ainda uma outra para armazenagem de material de conservação”, revelam.

Comentários

- Pub -