Vitória de cabeça perdida faz soar alerta no Bonfim

29
visualizações

Sadinos perdem (2-0) em Guimarães e terminam jogo com três jogadores expulsos

 

- Pub -

Se dúvidas houvesse de que o Vitória FC não está em crise ficaram ontem totalmente dissipadas em Guimarães, cidade onde os sadinos perderam 2-0 com o Vitória local (golos de Edwards e Ouatarra, aos 29 e 83 minutos). Mais do que a derrota, que aumenta para 11 o número de jornadas sem vencerem na I Liga, o facto de três jogadores terem sido expulsos (Leandrinho, Guedes e Sílvio), fazendo a equipa terminar o jogo com oito elementos em campo, ilustra bem o descontrolo emocional da equipa de Julio Velázquez.

A juntar ao aspecto disciplinar acresce o facto de os sadinos terem visto ontem reduzir a vantagem que tinham para a linha de água de seis para três pontos, após o triunfo obtido pelo Portimonense em Famalicão (0-1) antes da partida no Estádio S. Afonso Henriques. A cinco jornadas do final do campeonato, os alarmes já soam no Bonfim, adivinhando-se um final de temporada de calculadora na não, tal como aconteceu nas temporadas mais recentes.

A jogar em sua casa, mesmo sem público, o conjunto minhoto entrou pressionante e cedo dispôs de uma ocasião soberana para assumir a liderança do marcador. Derrubado por Sílvio no interior da área, Ola John viu o árbitro Gustavo Correia, da Associação do Porto, apontar para a marca de grande penalidade. Da marca dos 11 metros, André André rematou ao lado, mantendo a baliza de Lucas Paes em branco.

Depois do susto, vimaranenses e sadinos passaram a lutar muito pela posse de bola. Mais aguerridos e dinâmicos, os anfitriões, que tiveram mais posse de bola no primeiro tempo (59% contra 41 dos verdes e brancos), voltaram a ameaçar a baliza de substituto de Makaridze, aos 16 minutos, momento em que Ola John, após iniciativa na esquerda, rematou cruzado ao lado do poste direito da baliza do guardião brasileiro.

Aos 28 minutos, numa das raras incursões da equipa de Julio Velázquez à baliza contrária, Guedes foi assistido por um colega mas o guarda-redes Douglas antecipou-se para afastar o perigo. Na resposta, aos 29 minutos, o V. Guimarães aproveitou uma perda de bola de Carlinhos para se colocar em vantagem no marcador. O golo foi apontado por Edwards que, depois de se livrar de dois adversários, rematou forte de pé esquerdo para o 1-0.

Insatisfeito com o erro de Carlinhos, o técnico espanhol prescindiu, aos 34 minutos, do médio brasileiro e lançou Nuno Valente em campo de modo a tentar mudar o rumo dos acontecimentos. A mudança não surtiu efeito em termos práticos, uma vez que os vimaranenses continuaram a dominar o encontro como ilustra a superioridade nos cantos (4-0) e remates (4-1) registados até ao intervalo.

No arranque da segunda parte foi a equipa de Ivo Vieira a mexer no onze com a saída de Pepê para entrada de Poha. Aos 47 minutos, foi precisamente este jogador que cometeu uma falta de Éber Bessa, brasileiro que se encarregou da cobrança do livre que não criou qualquer perigo para a baliza de Douglas. Volvidos quatro minutos Éber Bessa caiu na área após lance com Suliman em que o árbitro nada assinalou, após indicação do VAR e apesar dos protestos sadinos.

Aos 58 minutos, o Vitória criou perigo junto da baliza da equipa de Guimarães, mas a pontaria não esteve afinada. Primeiro foi Jubal, depois de canto na esquerda em que a bola sobrou para si no interior da área, que rematou ao lado do poste esquerdo. Aos 60 foi a vez de Éber Bessa, quase aproveitar uma benesse de Suliman, para, num remate de pé esquerdo, obrigar Douglas a uma defesa atenta.

Aos 70, numa altura em que o Vitória tentava chegar ao golo da igualdade, uma entrada dura do médio Leandrinho sobre André André levou à expulsão do brasileiro, que prejudicou a equipa de forma clara ao deixá-la a jogar os últimos 20 minutos do encontro com menos uma unidade em campo. Em duas jornadas, depois de Zequinha ter visto o cartão vermelho na ronda anterior (1-2 com o Rio Ave), a equipa voltou a revelar descontrolo emocional em momentos em que era fundamental que isso não sucedesse.

Apesar da contrariedade, Julio Velázquez lançou a última cartada no jogo ao substituir Éber Bessa por Mansilla, aos 80 minutos. A jogar em superioridade numérica, os vimaranenses estiveram perto de ampliar a vantagem num remate desferido por Edwards, que só não bisou devido a uma boa intervenção de Lucas Paes, que, aos 83, já nada conseguiu fazer para evitar o 2-0.

Outarra, que aos 65 minutos tinha rendido Bruno Duarte, aproveitou um erro tremendo de Mansilla (o argentino fez uma “assistência” para o adversário) para em velocidade e com uma finta escapar a Artur Jorge e, à saída do guarda-redes setubalense, fazer um chapéu que, caso ainda existissem, terminou com as dúvidas em torno da discussão do vencedor do encontro no Estádio D. Afonso Henriques.

Até ao apito final, o Vitória ainda conseguiu fazer pior do que até aí. Não pelos golos que viria a sofrer, mas por ter somado mais dois jogadores à lista de expulsos na partida, ambos após consulta do vídeo-árbitro. O avançado Guedes recebeu (90+2) ordem de expulsão do juiz Gustavo Correia que, após análise do VAR expulsou o jogador que teve uma entrada dura sobre Suliman, enquanto Sílvio viu também o vermelho após falta sobre Ouatarra.

Com a derrota 2-0 em Guimarães, o Vitória aumenta para 11 jogos o jejum de triunfos no campeonato e vê o Portimonense (venceu ontem em Famalicão por 1-0), primeiro clube abaixo da linha de água, reduzir para três pontos a distância que separa ambos os clubes na tabela classificativa.

Comentários

- Pub -