Fantasma da despromoção volta a pairar no Bonfim

58
visualizações

Apesar do mau momento, Lito Vidigal mantém confiança na permanência.

 

- Pub -

A três jornadas do final do campeonato, o Vitória FC complicou anteontem, depois da derrota (1-0) sofrida com o já despromovido Desportivo das Aves, ainda mais as suas contas na luta pela permanência no principal escalão do futebol português. Despois de um ciclo de 13 jornadas sem vencer, o fantasma da despromoção é real numa equipa que comete, jornada após jornada, erros em catadupa que impedem-na de reencontrar os tão desejados êxitos.

Apesar do péssimo momento que se vive, Lito Vidigal, que após Sandro Mendes, Meyong e Julio Velázquez é o quarto homem ao leme dos sadinos, recusa-se a atirar a toalha ao chão. O técnico ex-Boavista, que se estreou no cargo na Vila das Aves, mostra-se optimista num desfecho favorável. “Já sabíamos ao que vínhamos, vai ser um final de época difícil, mas acreditamos que é possível”.

Numa altura em que todos andam de calculadora e aguardam sempre pelos resultados dos principais adversários directos na luta pela permanência (Portimonense, Tondela e Belenenses SAD), o timoneiro dos sadinos alerta para a necessidade de se pensar apenas no Famalicão, Sporting e Belenenses SAD, emblemas que irá defrontar até ao final da competição. “O que tenho dito aos jogadores é que não vale a pena pensar nos adversários directos. Estamos focados no que podemos fazer. Há três jogos para disputar e queremos ganhá-los”.

Uma das tendências que se tem verificado nas partidas mais recentes é o elevado número de expulsões, facto que é demonstrativo do descontrolo emocional do plantel numa altura em que era fundamental tê-lo. “Temos vindo a ter alguns jogadores expulsos e castigados. Hoje tínhamos alguns jogadores que não podiam jogar, fui falando com os jogadores com o sentido de terminar os jogos com onze, para sermos mais fortes”, disse Lito Vidigal depois da partida em que Sílvio foi expulso.

Já antes, na 28.ª jornada, Zequinha viu o cartão vermelho na derrota (1-2) com o Rio Ave e, na 29.ª, em Guimarães, Leandrinho, Guedes e Sílvio também foram expulsos fazendo os sadinos terminar o jogo com oito elementos em campo. Anteontem, com o Aves, o cartão vermelho voltou a ser exibido a Sílvio. “Perdemos o Sílvio e não temos assim tantos jogadores para aquela posição”, lamentou o técnico no final do encontro.

Não obstante o desaire com os avenses, Lito Vidigal, que teve apenas dois dias para preparar o jogo, considera que a equipa deixou indicadores positivos. “Depois de dois dias de trabalho, contra um adversário já com a desclassificação e já sem pressão, nós em pouco tempo de trabalho acho que fizemos um bom jogo. Estivemos bem na segunda parte, criámos situações de golo, mas não fomos felizes na concretização”.

Na opinião do treinador, a eficácia foi determinante para o desfecho. “Começámos o jogo de uma forma dura com um penálti contra, depois tivemos um penálti que não conseguimos concretizar. É o futebol, é duro, queríamos quebrar um ciclo longo sem vencer. Temos de olhar para os jogos que faltam para permanecer na Liga. Sinto que fomos mais fortes na segunda parte, os jogadores quiseram muito vencer e agora há que encarar os próximos jogos da mesma forma”.

Questionado sobre Berto, jogador que foi substituído (66 minutos) por Leandrinho e não escondeu a sua insatisfação pela decisão tomada, Lito Vidigal foi peremptório. “Acho que a equipa hoje esteve mais liberta emocionalmente. Depois temos algumas pessoas com o seu carácter. O que temos de fazer é melhorar. Cabe-me a mim manter a calma e transmitir essa calma”, disse, optando por não alimentar a polémica.

Três regressos e duas baixas

Sem tempo a perder, o plantel vitoriano começou ontem de tarde a preparar o confronto de segunda-feira, 21:15 horas, no Estádio do Bonfim, com o Famalicão. Nessa partida da 32.ª jornada, Lito Vidigal já sabe que vai ter disponíveis, depois de cumprirem castigo, o médio Carlinhos (esteve suspenso um jogo) e os avançados Zequinha e Guedes, que tiveram, respectivamente, três e dois jogos de castigo.

Em termos disciplinares nem todas as notícias são boas para o treinador dos vitorianos, uma vez que dois dos jogadores mais utilizados na presente temporada – os defesas Sílvio e Artur Jorge – vão ficar de fora no duelo com os famalicenses. O primeiro por ter sido expulso em Vila das Aves e o segundo por ter, também anteontem, completado uma série de nove cartões amarelos.

Comentários

- Pub -