1 Dezembro 2020, Terça-feira
- PUB -
Início Dossiê Especial 165 Anos História da Polícia de Segurança Pública de Setúbal

História da Polícia de Segurança Pública de Setúbal

A tarefa da segurança pública tem, em Portugal, várias referências e instituições ao longo da história. É o Rei D. Luís que em 2 de Julho de 1867, lança mão da criação de uma nova entidade, o Corpo de Polícia Civil. Esta entidade mantém-se e após várias reorganizações conhece-se hoje como Polícia de Segurança Pública.

- PUB -

Em Setúbal, antecede à Polícia Civil a Polícia Municipal. Assim, Conceição Quintas menciona, na monografia da freguesia de S. Julião: “Nos finais do século XIX, antes do ano de 1877, a população de Setúbal sentia-se insegura, pois os distúrbios faziam perigar as suas vidas. Os agentes que a cidade possuía eram insuficientes para dirimir todas as contendas, especialmente quando os tripulantes das embarcações estrangeiras vinham à cidade.

Para remediar a situação, a municipalidade organizou um Corpo de Polícia com 16 guardas e um chefe, tendo este o vencimento de 800 réis e cada um dos guardas de 400. No entanto, estas remunerações seriam revistas logo que a Câmara tivesse disponibilidade financeira”.

Pelo Decreto 13185, 24 de Fevereiro de 1927, é criado o Comissariado de Polícia de Setúbal, dissolvendo a Polícia Municipal de Setúbal, herdando deste todo o armamento e material. É constituído este novo corpo local por um comissário, 2 chefes de Esquadra, 10 cabos, 20 Guardas de 1ª Classe e 60 Guardas de 2ª Classe.

- PUB -

No fim da Segunda Grande Guerra, em 1945 é criada a secção do Barreiro, guarnecida por Lisboa, passando mais tarde a ser guarnecida por Setúbal e a depender directamente desta.

Numa primeira reorganização, em 1953, o comissariado de Polícia de Setúbal passa a denominar-se de Comando Distrital de Setúbal. No ano imediatamente a seguir, em 1954, porventura fruto ainda dessa reorganização é criada a Esquadra de Almada, o posto de Alcácer do Sal, fundado o posto de Grândola em substituição do posto de
Ermidas do Sado, também o posto de Santiago do Cacém, o posto de Sines e o posto do Montijo. Em 1958 é criada a secção de Almada, dependendo das ordens do comando Distrital de Setúbal.

Só em 1970 é que o Distrito assiste a um reforço das forças policiais, assim neste ano é criado o posto da Costa da Caparica. Nesse mesmo ano, passa a Esquadra o posto do Montijo. Em 1973 é concedido à secção de Almada o estatuto de Divisão sendo criada também neste ano o posto da Moita.

- PUB -

O dia 25 de Abril, representou o fim de um infausto período da nossa história, embora ainda não se tenha dissipado o espírito de desconfiança que estigmatiza as instituições policiais, a Polícia de Segurança Pública não sofre grandes alterações a nível organizacional, as transformações são sobretudo em termos de mentalidade e de atitudes. Desde logo, com uma nova Constituição e primado efectivo de Direitos, Liberdades e Garantias bem como novos instrumentos jurídicos.

Durante muitos anos existe um êxodo do interior para o litoral embusca de melhor vida. Neste contexto, Setúbal foi um Distrito que engrossou a nível demográfico com migrações das mais variadas zonas do país. Em resposta a este índice demográfico é fundada em 1975 a Divisão do Barreiro com postos no Lavradio e Quinta da Lomba e, em 1977 é criada a Esquadra do Seixal.

No ano de 1980 passa o posto de Sines a Esquadra sendo, no entanto, extinta em 1995. No ano seguinte foi a vez do município da Cruz de Pau inaugurar uma Esquadra de Polícia. O ano de 1982 é um ano marcante para a instituição policial de Setúbal como uma nova época de reestruturação a nível interno. O posto da Costa da Caparica passa a Esquadra.

É criada em 1990 a Esquadra de Santo André, sendo que passados 3 anos por motivos estruturais e por novas acepções de policiamento urbano se deu o encerramento de várias Esquadras e postos mais a sul. Daí advieram custos sociais quer a nível das populações octópodes, quer a nível dos elementos aí fixados, que foram desenraizados e migraram também eles, com as suas famílias, para outras colocações nas várias esquadras de polícia do Distrito.

Deste modo, em 1993 é desactivado o posto de Grândola. Em 1994 ao mesmo tempo que é alterada a denominação do Comando Distrital de Setúbal para Comando de Polícia de Setúbal, é desactivado o posto de Alcácer do Sal. Como já foi referido, é desactivada a Esquadra de Sines, bem como Santo André e Santiago do Cacém. A excepção foi a inauguração do Posto da Torre da Marinha em 1997.

É com a Portaria n.º 340-A/2007, de 19 de Março, muito embora diferida para o ano de 2008, numa nova reorganização das forças de Segurança, que foram transferidas para as competências de influência territorial da Guarda Nacional Republicana as Esquadras da Moita e Costa da Caparica.

Sendo que, para a esfera de competência territorial da PSP transitou as áreas de Corroios e da Baixa da Banheira com as respectivas Esquadras. Esta reorganização implicou mais que a mera transferência nestas freguesias. Houve também um alargamento de esfera de competências de Esquadras já existente, abrangendo aquilo
que corresponde à limitação da freguesia. Foi também inaugurada a Divisão Policial do Seixal, que veio permitiu reajustar equipamentos e pessoal que pertenciam à Divisão de Almada.

O Comando de Setúbal adopta na sua representação um Brazão de Armas. Esse elemento identificativo, individualiza a organização e está ligado a elementos regionais do Distrito. Assim, as armas atribuídas à Polícia da cidade são repartidas por 3 elementos, o seu escudo, o coronel superior e a divisa (justos e leais).

O Comando de Polícia de Setúbal tem um escudo em azul com Vieira de ouro e a cruz de Santiago em vermelho. A Vieira do brasão é símbolo de um distrito junto ao mar, imagem de nobreza, fé e sabedoria. Por cima desta Vieira, a cruz de Santiago a vermelho, fazendo jus ambas à Ordem de Sant’Iago de Espada, que no século XII, tomou parte da batalha de Alcácer do Sal, muito contribuindo para a pacificação e desenvolvimento na área que “grosso modo” corresponde hoje ao nosso Distrito.

- PUB -

Mais populares

St. Peter’s: Investimento de 4,6 milhões abre a porta a mais de 200 alunos

Novo edifício projectado para Setembro de 2021 permitirá também ao colégio ter alunos em regime de internato Nas actuais instalações, na Volta da Pedra, Palmela,...

Denúncia de alegada fraude fiscal de Paulo Rodrigues seguiu para as Finanças

Em causa as comissões recebidas pelo agora presidente do Vitória quando era empresário.   O SETUBALENSE teve acesso à documentação remetida esta semana por um sócio...

Ginjal promete dar mais élan a Cacilhas e fazer ‘inveja’ à margem norte

Uma nova cidade vai nascer na beira Tejo de Almada com espaços para promover o turismo, promoção cultural e zona habitacional A proposta relativa ao...
- PUB -