Produtores de arroz exigem que Herdade da Comporta garanta água para a campanha

77
visualizações

A Associação de Agricultores do Distrito de Setúbal (AADS) apelou hoje à administração da Herdade da Comporta para que tome as medidas necessárias para fornecimento da água aos produtores de arroz, que já iniciaram a campanha deste ano.

- Pub -

A tomada de posição da AADS surge na sequência de uma comunicação da administração da Herdade da Comporta aos produtores de arroz, alertando-os para a eventual falta de água na campanha de 2020, mas os agricultores dizem que a água disponível é suficiente e que cabe à administração da herdade assegurar as condições para a disponibilização dos recursos hídricos.

“Neste momento ainda ninguém sabe se vai ou não haver falta de água, porque ninguém sabe o que vai chover nas próximas semanas, mas, ainda que a água seja pouca, é suficiente para esta campanha do arroz”, disse à agência Lusa Joaquim Lopes, da AADS.

“O que a administração da Herdade da Comporta tem de fazer é reparar, como lhe compete, uma das bombas de captação de água que está avariada há cerca de um ano”, acrescentou Joaquim Lopes, referindo ainda que “há outras bombas dos furos de captação de água que estão a trabalhar apenas a cerca de 70% da sua capacidade”.

“É inaceitável que, aproveitando-se do momento que infelizmente o país vive devido à pandemia da covid-19, onde mais do que nunca é necessário produzir produtos alimentares, a administração da Herdade da Comporta ponha em causa a água necessária para semear centenas de hectares e produzir milhares de toneladas de arroz”, acrescentou.

Segundo Joaquim Lopes, o aviso da administração da Herdade da Comporta surgiu numa altura em que muitos agricultores já começaram a trabalhar as terras e já adquiriram as sementes e adubos.

“Estamos a falar de um universo de cerca de 40 rendeiros que pagam as suas rendas, 23 dos quais são associados da AADS que exploram cerca de 200 hectares de terrenos da Herdade da Comporta”, acrescentou o técnico, salientando que, entre estes produtores de arroz, há alguns que fazem da atividade um complemento, mas que, para outros, é o único meio de subsistência.

Em comunicado hoje divulgado, a AADS não só responsabiliza a administração da Herdade da Comporta pela situação criada aos produtores de arroz, como também apela ao Governo, Assembleia da República e autarquias para que tomem medidas que garantam a sobrevivência económica e social dos agricultores e a produção nacional.

A agência Lusa tentou ouvir a administração da Herdade da Comporta, mas não foi possível em tempo oportuno.

Lusa

Comentários

- Pub -