Forte da Trafaria vai receber Instituto de Artes e Tecnologias da Universidade Nova

58
visualizações

Para além da recuperação de património, a localidade ribeirinha vai ser referência do conhecimento académico

A Câmara de Almada vai celebrar um contrato de cedência do direito de superfície do imóvel municipal do Forte de Nossa Senhora da Saúde da Trafaria a favor da Universidade Nova de Lisboa, para instalação do Instituto de Artes e Tecnologias.
A proposta para este contrato, a ser efectuado através de escritura pública, foi aprovado, por unanimidade, na última reunião pública da Câmara, no passado dia 7.

- Pub -

O também conhecido por Forte da Trafaria, vai receber o novo Instituto de Artes e Tecnologias (IAT), o qual consiste numa unidade académica da Universidade Nova de Lisboa, dedicada à educação, formação, investigação e criação nas áreas de confluência das artes e tecnologia, operando assim como um agente de investigação, criação e divulgação universal das artes e das tecnologias.

Adianta a autarquia, que este novo espaço vai “proporcionar, sucessivamente, as condições para a oferta de cursos formais em todos os graus, para além de cursos pós-graduados, de formação, especialização ou outros de qualquer duração que melhor respondam às necessidades identificadas para a área de actividade e aos objectivos do IAT.

O Edifício das Celas que integra o Forte da Trafaria ficará na posse do município de Almada, onde simultaneamente “funcionará um Centro de Arte ligado aos temas que definem a sua história e um espaço de memória que permita ao público conhecer a história e vivências do edificado”.

Com o histórico edificado, frente ao Tejo, a necessitar de obras de recuperação, o investimento previsto a cargo da Universidade Nova de Lisboa para esta intervenção ultrapassa os 7 milhões e 600 mil euros, sendo que, como indicou a presidente da Câmara de Almada, Inês de Medeiros, “cerca de 2 milhões será para aquisição de equipamento base em tecnologia”.

O plano global de investimento deverá ser comparticipado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo em 40%, cabendo à Universidade Nova de Lisboa os restantes 60%.

Da parte da Câmara de Almada fica assumido o investimento na ligação de água e saneamento até aos edifícios.

“Este novo instituto, e a recuperação do Forte da Trafaria, são fundamentais para o desenvolvimento da Trafaria, e não só”, avalia Inês de Medeiros. Para além disso, dá mais força à localidade para “exigir mais equipamentos públicos”.
A unidade de conhecimento IAT vai funcionar com ligação a várias parcerias universitárias, e empresas, a nível internacional.

Comentários

- Pub -