Grupo Desportivo Fabril cede maior nave desportiva do país para combate à Covid-19

66
visualizações

São mais de 100 camas, 40 cedidas pelo ‘Fabril’ e 60 angariadas pelo município do Barreiro, com o apoio de vários parceiros

 

- Pub -

O Grupo Desportivo Fabril e a Câmara Municipal do Barreiro montaram uma estrutura de apoio no combate à pandemia de Covid-19, no Pavilhão Vítor Domingos.

O presidente da Câmara do Barreiro, Frederico Rosa, já havia referido que, no caso de o número de infectados com Covid-19 subir, o pavilhão desportivo da Escola Secundaria Augusto Cabrita iria ser utilizado para receber um hospital de campanha. Mas, agora, também o ‘Fabril’ disponibilizou cedeu as suas instalações ao município, numa atitude que Faustino Mestre, presidente deste grupo desportivo, considera ser a vontade transversal dos 4 mil sócios.

Faustino Mestre apresenta esta iniciativa do clube como “uma forma de retribuir à sociedade o apoio que é sempre dado à prática desportiva”. Para o dirigente há muitos pedidos de ajuda de clube distritais desde que as consequências da Covid-19 começaram a afectar o desporto, “mas talvez seja importante relembrar que esta é também uma oportunidade de retribuirmos, no lugar de estarmos sempre a pedir”.

Foi desta forma que surgiu a ideia de colocar “a maior nave do país, em termos de pavilhões desportivos, à disposição do município e da região”, revela o dirigente.

Com mais 100 camas, 40 cedidas pelo ‘Fabril’ e 60 conseguidas pelo município em contacto com parceiros locais, “o Pavilhão Vitor Domingos tem agora capacidade para receber um hospital de campanha ou para ser um centro de acolhimento, destinado a profissionais a trabalhar na linha da frente contra a Covid-19”.

O Pavilhão Vitor Domingos adapta-se a esta finalidade porque, embora esteja inserido no centro do território do concelho e próximo ao Hospital Nossa Senhora do Rosário, “encontra-se afastado de aglomerados habitacionais, o que permite manter a segurança da população, longe de um local que pode vir a ter pacientes com Covid-19 em tratamento”, explica Faustino Mestre. Quanto ao espaço envolvente, também permite bons acessos “e manobras de viaturas militares ou de ambulâncias”.

 Centro para atletas adiado

Os recursos agora utilizados para transformar o pavilhão em centro de acolhimento ou hospital de campanha já haviam sido adquiridos em 2019, mas com outra finalidade. “Ano passado começamos a desenvolver o projecto de um lar para atletas, que vêm de outros pontos treinar nas instalações do ‘Fabril’ e para equipas em estágio”.

A Covid-19 deixou o projecto em suspenso, mas Faustino Mestre considera que “não há motivo para que os seus recursos não sejam colocados ao serviço da comunidade” e defende que “todos os clubes do distrito, com alguns recursos disponíveis, podem fazer o mesmo para apoiar os municípios e os serviços de protecção civil, profissionais de saúde, bombeiros ou militares”.

Comentários

- Pub -