Barreiro. 11600 novas luminárias reforçam sentimento de segurança

28
visualizações
Rui Braga afirma que a medida vai permitir poupança de 4 milhões à autarquia em 12 anos

Durante três meses, sete equipas vão assegurar que o concelho ficará mais iluminado

 

- Pub -

O município do Barreiro deu início esta semana a uma operação de mudança de todas as luminárias do concelho, numa medida há muito reivindicada pela população e que vai agora permitir uma maior poupança à autarquia, bem como reforçar o sentimento de segurança dos barreirenses. “Estou certo de que todos vamos sair a ganhar”, afirma com satisfação o vereador das Obras Municipais, Rui Braga, que adiantou a O SETUBALENSE que esta operação “vai estender-se a todas as freguesias do concelho, com a instalação de 11.600 novas iluminações”.

Aprovada pela autarquia há cerca de um ano, a medida acabou por atravessar um processo judicial e só agora foi possível à câmara municipal avançar no terreno, tendo para isso sido mobilizadas sete equipas camarárias para executar este serviço numa única fase.

A mudança, segundo o autarca, resulta de um investimento privado que ronda os três milhões de euros, num contrato com a empresa que ganhou o concurso para os próximos 12 anos, em “que partilhamos a metade da poupança”, adianta Rui Braga, que ronda os 70 por cento da factura de consumo energético que é pago à EDP. “Estamos a falar de 4 milhões de euros em 12 anos de poupança, sem que a autarquia invista um cêntimo”, acrescentou, com a câmara a poder arrecadar este valor nos seus cofres. Trata-se de uma “poupança de energia garantida, que é ao mesmo tempo ambientalmente sustentável”, destacou.

Rui Braga afirma que “vamos reacender os postos que estavam desligados há muito tempo, poupando dinheiro ao orçamento da câmara e desta forma poderemos fazer face ao consumo energético, numa iniciativa lançada pelo anterior executivo”, assinalou.
O responsável destaca que o contrato com a empresa que vai substituir as luminárias, obriga à manutenção das mesmas e a “uma resposta em 24 horas” no caso de surgir alguma falha, sendo “os índices de qualidade de vida” mais elevados.

Comentários

- Pub -