Júri decidiu por Saint-Germain na Quinta do Braamcamp [com vídeo]

282
visualizações

Esta manhã, em declarações a O SETUBALENSE, Rui Braga vereador que tem acompanhado o projeccto defendeu que é “uma grande vitória aprovar um projeco que devolve 82% do território para o domínio do município”

 

- Pub -

 

A empresa Saint-Germain, sedeada em Leiria e especializada na compra e venda de bens imobiliários, é a vencedora do concurso público de alienação dos terrenos da Quinta do Braamcamp, revelou esta quarta-feira o vereador do Planeamento e da Gestão Territorial, Rui Braga, durante a reunião do executivo da Câmara do Barreiro.

O autarca mostrou-se “entusiasmado” com a decisão, acrescentando que a compra ultrapassou os cinco milhões de euros e que está confirmado que 82% daquele território “vai voltar para o domínio da autarquia”, tendo o concorrente “preenchido este requisito que estava no nosso caderno de encargos, ficando apenas com os lotes que vai construir”, sublinhou. Após o relatório preliminar, a resolução do júri foi comunicada ao município na terça-feira.

 

Rui Braga acrescenta que “o investimento estimado está perto dos 40 milhões de euros, com a construção de 185 fogos”, sendo que a unidade hoteleira prevista para o local terá a capacidade de 178 camas. Na mesma altura, o vereador adiantou que “a caldeira vai voltar à posse da câmara, bem como a zona de sapal, o que é um bom sinal, até porque sempre dissemos que queríamos ver a autarquia a comandar o território da Braamcamp e podermos todos usufruir daquela área”, frisou.

Com a venda do espaço, que ocupa 21 hectares à beira-Tejo, também o moinho ali existente “vai ser requalificado e será colocado ao dispor da população, porque o acesso tem de ser público”, assinalou. Recorde-se que 95 por cento desta zona será ocupada por espaços verdes, zonas desportivas e de lazer, entre as quais, um circuito de manutenção, um parque juvenil e um parque de merendas público, dois campos de basket, uma torre de observação paisagística, para além de um passadiço que será instalado “por cima da zona de reserva para proteger a nossa flora”, disse. “A autarquia vai receber um espaço requalificado com estes equipamentos, e desta forma poderemos o devolver à população para usufruto de todos, para além das dinâmicas que se criam à volta e do emprego que será criado com a unidade hoteleira”, referiu.

“Aguardamos serenamente pelo desfecho do processo judicial”

 

O responsável destaca ainda “o facto de haver alguém interessado em investir na cidade”, mesmo “em tempos de adversidades económicas, tivemos dois concorrentes que acreditaram no projecto, em requalificar para devolver este território à cidade infraestruturado e equipado”, realçou. Rui Braga defendeu que “aguardamos serenamente pelo desfecho do processo judicial e daquilo que vier a ser a decisão do juiz”, referindo-se à resolução fundamentada aprovada anteriormente e apresentada pela câmara municipal ao Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada, na sequência de uma providência cautelar interposta pela “Plataforma Cidadã Braamcamp é de Todos”.

 

Luís Geirinhas

Comentários

- Pub -