Programa de Apoio à Cultura já ultrapassa os 50 mil euros

14
visualizações
Prevista está a realização de eventos ao ar livre nas freguesias do concelho em Julho e Agosto

Autarquia prepara programação para animar freguesias nas noites de Julho e Agosto

 

- Pub -

O Programa de Apoio à Cultura delineado pela Câmara do Barreiro, desde o início da pandemia Covid-19, já é “superior a 50 mil euros”, revelou a O SETUBALENSE a vereadora que tutela aquela área neste município, Sara Ferreira. A responsável acrescenta que, entre “as convocatórias que fomos lançando, nomeadamente na altura das comemorações do 25 de Abril, na programação da área infantil e do próprio Festival em Rede, realizado em parceria com a OUT.RA, numa estratégia de apoio aos agentes culturais da nossa cidade, tornámos possível que estes pudessem continuar a trabalhar durante a fase de maior confinamento”.

Neste momento, “todos os eventos que foram cancelados desde o mês de Março e que já estavam agendados, tendo sido cancelados, já foram remarcados para o último trimestre do ano, naturalmente, continuando a cumprir todas as orientações da Direcção-Geral de Saúde”, sublinhou, caso do concerto com o cantor Salvador Sobral, cuja apresentação passa agora a estar programada para 5 de Dezembro.

Sara Ferreira revelou também que, actualmente, a autarquia está ainda a trabalhar numa programação ao ar livre de Verão, de forma a levar pequenos apontamentos culturais a todas as freguesias do território. O objectivo, explicou, é “começar a dinamizar e promover também a cultura”, tendo garantido que durante os meses de Julho e Agosto, já estão previstas projecções de cinema, assim como pequenos concertos, mas “sempre muito condicionados à evolução da situação que se verificar na altura”, disse.

Tendo em conta o cancelamento das Festas do Barreiro deste ano, situação que recorda ser “uma inevitabilidade, porque não existiam condições para que estas fossem realizadas”, a vereadora frisou que a verba resultante da desprogramação de uma série de eventos poderá agora reverter para “um conjunto de compromissos que já tinham sido assumidos pela autarquia em 50 por cento”, o que será um “esforço financeiro que também vamos fazer. Na sua expectativa, pelo menos metade dos eventos serão mesmo realizados e, ao mesmo tempo, em virtude da perda de receita das festas, que não são apenas compostas de despesa, a verba disponível poderá agora ser utilizada em outras despesas. Certo é que “o dinheiro da área da cultura, continuará a estar destinado à mesma, para podermos promover e incentivar a prática da actividade cultural no concelho”, garantiu.

 

Carrocéis e feirantes locais poderão integrar outros eventos

 

Em relação aos comerciantes da área dos carrocéis, a responsável afirma que a autarquia “ainda não tem nenhuma decisão tomada e nem sabemos se há da parte destes profissionais a iniciativa de integrar as pequenas iniciativas”, no entanto, no caso da feira ambulante, incluindo espaços de venda tais como farturas, pipocas ou cachorros, Sara Ferreira destacou que a câmara “está a definir uma estratégia” que permita que cada um dos interessados possa informar sobre que eventos “pretendam estar presentes e, após uma análise dos pedidos, a autarquia vai procurar encontrar uma maneira para atender às pretensões dos feirantes existentes no Barreiro”, situação que levará a uma descentralização de pessoas pelas diversas freguesias, evitando assim aglomerações nas actividades que possam ocorrer durante aqueles dois meses.

Luís Geirinhas

Comentários

- Pub -