Aprovado contrato de arrendamento para avançar com STARTUP BARREIRO

58
visualizações

Espaço reabilita património no interior do parque empresarial Baía do Tejo

 

- Pub -

Um ano depois da autarquia barreirense ter anunciado a intenção de criar uma incubadora de empresas, designada por STARTUP BARREIRO, no edifício da antiga fábrica de refinação de azeite, no parque empresarial da Baía do Tejo, e em virtude de atrasos provocados pelo surgimento da pandemia Covid-19, foi recentemente aprovado o contrato de arrendamento que torna possível esta vontade do município e que estará em vigor durante os próximos 20 anos, a partir do presente mês de Julho.

Rui Braga, vereador do Planeamento, Gestão Territorial e Equipamentos, explica que a adjudicação do contrato “é o último passo administrativo para que se possa concluir o processo e iniciar a obra, que visa dotar o edifício devoluto, de condições, para que se possam instalar projectos e ideias inovadoras” naquela área. O autarca destaca “os 68 locais e postos de trabalho que incluem salas de formação, de reuniões, convívios”, entre outros, permitindo que o Barreiro possa “ter um equipamento ao dispor da cidade” e da “nossa juventude”.

“Com este projecto conseguimos fazer algo que nos pode fazer distinguir neste tema das incubadoras de empresas e ser verdadeiramente estruturante”, adianta Rui Braga, que lembra a existência do Politécnico no concelho, assim como o apoio do Gabinete de Empreendedorismo daquela câmara municipal, liderado pelo vereador Bruno Vitorino, que “está neste projecto, desde a primeira hora”, realçou.

O novo espaço, com uma área de 997 metros quadrados, permitirá “a reabilitação e regeneração deste edificado” e vai apoiar “o desenvolvimento económico empresarial”, que possibilitará a “abertura de um novo território para usufruto dos barreirenses, que até à data se encontrava abandonado”, frisou o vereador.

Baía do Tejo incorpora conceito de STARTUP

Segundo a Câmara do Barreiro, disposta a incorporar o conceito de STARTUP está também a própria Baía do Tejo, que “pretende participar no seu funcionamento, para que a incubadora dê frutos”, acrescenta em comunicado.

“É um projecto cheio de vantagens onde conseguimos ter um circuito com o nosso Politécnico, a incubadora, o parque empresarial, onde conseguimos criar emprego, manter os jovens na cidade e ter um produto ‘made in Barreiro’ com qualidade, ao mesmo tempo que crescemos em território, para dentro do parque”, reforçou Rui Braga.

Comentários

- Pub -