Analisadas respostas sociais prestadas pelo município do Barreiro durante pandemia

13
visualizações

Parceiros fazem ponto de situação no concelho e analisam desafios para o futuro

 

- Pub -

As entidades parceiras do Conselho Local de Acção Social do Barreiro (CLASB) reuniram-se na quinta-feira, naquele que foi o seu 49º encontro, nas instalações da Biblioteca Municipal, para uma troca de experiências resultantes das várias respostas sociais que tiveram lugar no concelho, com “espírito de entrega” e “numa conjuntura atípica” provocada pela pandemia Covid-19.

Esta reflexão possibilitou aos presentes fazerem um ponto de situação sobre as acções desenvolvidas ou que ainda se encontram em curso e os desafios para o futuro. O surto epidemiológico foi um dos pontos centrais na ordem de trabalhos. Sara Ferreira, vereadora da Câmara do Barreiro que tutela as áreas da Intervenção Social, Igualdade, Saúde e Habitação, salientou que “intervimos em todas as frentes e dedicámos especial atenção aos seniores”. A autarca destaca que “ainda há carências, por isso deveremos refletir sobre as necessidades e sugestões para, assim, resolver e atenuar todos os problemas”.

A vereadora recordou as medidas implementadas pelo município, tais como a isenção do pagamento de rendas das casas municipais, entre Março e Setembro, assim como as 125 refeições diárias servidas aos alunos dos escalões A e B até ao início do próximo ano lectivo, bem como a entrega de cinco ventiladores ao Centro Hospitalar Barreiro Montijo e a criação das linhas de Apoio Social e Psicológico. A responsável referiu-se ainda ao apoio prestado aos sem abrigo do concelho, em articulação com a Segurança Social, tendo recordado a distribuição de Equipamentos de Protecção Individual às IPSS e a sete lares privados que “prestam apoio domiciliário no Barreiro e todas as Unidades de Saúde Familiar, à PSP, GNR, Bombeiros e ao CHBM”.

Outra das questões abordadas foi o alargamento da data limite de pagamento até final de Junho da factura da água, referente ao período entre Março e Junho (até dia 10), entre outras. Em destaque esteve também a bolsa de voluntários criada em “tempo recorde, com a participação de 120 pessoas que deram o seu contributo na costura de máscaras”, assim como os projectos “Barreiro Educa +”, “Barreiro + Activo” e o “#2830vivemcasa”, que decorreram com a colaboração dos técnicos das áreas da Educação, Desporto e Cultura. Sara Ferreira destacou ainda a importância do “Barreiro + Solidário”, que deverá ser implementado em breve, em colaboração com a Casa dos Rapazes, em que serão atribuídos bens e produtos de primeira necessidade, tendo agradecido o empenho de todos os funcionários da autarquia. De acordo com o município, no futuro, serão também “mantidas as linhas de apoio” e serão implementados os “Balcões Idade +”.

Projecto “ReComeçar” para os sem abrigo

Paula Encarnação, representante da Associação NÓS, apresentou o Projecto Social de Apartamentos Partilhados para Pessoas em Situação de Sem Abrigo – “ReComeçar”, que prevê um conjunto de três apartamentos para alojamento temporário, que podem acolher até 11 pessoas, por um período que pode ir dos seis meses a um ano.

A equipa responsável é constituída por um técnico superior na área das Ciências Sociais e Humanas e um ajudante de acção directa, que farão “um trabalho de capacitação, responsabilização, valorização e autonomização” destas pessoas. Para Sara Ferreira, este projecto “representa um desafio para o concelho, que vem complementar e potenciar a intervenção que se prevê realizar”, também com a candidatura apresentada pela autarquia ao Portugal 2020 – “Inserção de Pessoas em Situação de Sem-Abrigo”, realizada em parceria com a Cooperativa RUMO, recentemente aprovada, e que inclui a criação de um Projecto de Housing First.

Apoio alimentar pode atingir mil pessoas em Agosto

Ao longo do encontro, foram vários os parceiros que elogiaram as medidas tomadas pelo município, tendo manifestado a “necessidade de terem acesso a indicadores sociais do concelho”. Natividade Coelho, directora do Centro Distrital de Segurança Social de Setúbal, referiu o “aumento do número de desempregados de 39% (desde Fevereiro até ao momento actual), enquanto que em relação ao Rendimento Social de Inserção, estão registados 2400 beneficiários (+3,9% desde Fevereiro até ao final de Junho)”.

Ao nível do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas, este “poderá chegar à distribuição de alimentos a cerca de mil pessoas durante o próximo mês de Agosto”. Dirigindo-se aos restantes parceiros, a responsável disse que o concelho “é um território preocupante porque os números são altos e temos de aprender com o trabalho entre todos, numa lógica de articulação”.

Comentários

- Pub -