Cemitério da Vila Chã com crematório dentro de ano e meio

38
visualizações

Concurso público já foi lançado. Concessionário vai explorar equipamento durante 25 anos, com contrapartidas para a autarquia

 

- Pub -

O município do Barreiro conta avançar em breve com o projecto de construção de um crematório no cemitério da Vila Chã, a desenvolver por um investidor privado, para dar resposta a uma grande procura por parte dos barreirenses que, actualmente, têm como alternativa mais próxima um equipamento similar situado na Quinta do Conde, no concelho vizinho de Sesimbra. A proposta, aprovada por maioria em reunião daquele executivo, realizada durante o mês de Junho, refere que o valor previsto para este investimento “não poderá ser inferior a 512 mil euros”.

Em declarações a O SETUBALENSE, Bruno Vitorino, vereador que assumiu o pelouro desde o início deste mês, que anteriormente era tutelado pelo presidente da autarquia, Frederico Rosa, adiantou que “o procedimento de concurso já foi lançado” e acredita que “dentro de ano e meio possa estar concluído”, para “procurar dignificar, recuperar e humanizar aquele espaço”.

O autarca considera que à semelhança daquele cemitério, também os existentes em Palhais e na freguesia do Lavradio precisam, ainda neste mandato, de serem “recuperados e alvo de melhorias”. No caso do cemitério da Vila Chã e de acordo com o caderno de encargos, não será permitida ao concessionário vencedor do concurso a construção de um jardim da saudade, nem a exploração de depósito de cinzas.

Como contrapartida de exploração do futuro crematório, em regime de exclusividade, o concessionário ficará obrigado a realizar “um conjunto de obras em diversos espaços e edifícios preexistentes” naquele espaço, nomeadamente, na zona da Secretaria, num valor que deverá rondar os 256 mil euros, e a proceder, gratuitamente, à “cremação de restos mortais considerados abandonados”.

De acordo com a proposta a celebrar, esta concessão terá um prazo de 25 anos, a contar da data do contrato e, para novos serviços a prestar, as tarifas terão que “merecer sempre” um parecer favorável da autarquia.

“Criar condições para que serviço exista no concelho”

“Um crematório no Barreiro é algo que era necessário, sobretudo, porque tem havido muita procura, e o que queremos é criar as condições para que este serviço passe a existir no concelho, dado que a solução mais próxima está situada na Quinta da Conde”, explicou o vereador responsável, que considerou que desta forma “poderemos aliviar um pouco a pressão que temos em cemitérios, cuja capacidade está quase esgotada”, revelou, num território “muito envelhecido e esta é a realidade, pelo que temos de planear este tipo de questões com tempo”, frisou.

Comentários

- Pub -