União Seixalense procura consolidar novo folego à entrada dos 150 anos

6
visualizações

A 1 de Junho entrou no século e meio de vida. As prioridades estão definidas

 

- Pub -

Fernando Simões, presidente, e José Duarte, vice-presidente para as actividades administrativas, abriram as portas da Sociedade Filarmónica União Seixalense, vulgo “Os Prussianos” (SFUS), para receberem O SETUBALENSE, em plena época do coronavírus.
“Há uns anos, por conjugação de um conjunto de problemas, a sociedade bateu no fundo. Entretanto, a partir de 2014, ano em que esta direcção tomou posse, elaborámos um plano de recuperação estrutural desta casa. E, podemos dizer-lhe, era já com verdadeiro optimismo que aguardávamos a entrada no ano do150.º aniversário da SFUS. Infelizmente, fomos assolados por esta pandemia e tivemos de cancelar tudo”, disseram-nos os dirigentes.

Programa de reestruturação

Os alicerces financeiros da colectividade são suportados pela quotização dos cerca de 1200 associados, pelas receitas do bar e pelas ajudas monetárias, da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia do Seixal. No entanto, as preocupações são muitas e as despesas também.

Outra preocupação dos dirigentes está ligada à recuperação da colectividade, após meses de portas encerradas. “Neste momento, a situação é confrangedora, mas estamos esperançados de que, com o empenho da banda e da escola de música, a vida da sociedade volte a ser o que era.”, realçam.

Escola de música sempre activa

Apesar dos tempos conturbados, a escola de música da SFUS manteve-se sempre activa, com aulas à distância. O mesmo tem acontecido com a banda, com ensaios individuais também à distância. “A banda continuou sempre a ensaiar para a comemoração do 150.º aniversário”.

A colectividade tem uma secção de karaté e uma biblioteca, devidamente catalogada e à disposição dos associados. Os bailes de Carnaval da SFUS são famosos na região. “São um ponto alto do nosso programa de actividades anual. Mas também não deixamos passar sem assinalar devidamente o Dia Internacional da Mulher, o S. Martinho ou o S. Pedro, além de participarmos em iniciativas de outras colectividades e nos grandes eventos patrocinados pelo Município do Seixal, como o Natal do Hospital ou o Março Jovem”, lembram os associativistas.

Logo que esteja dominada a covid-19, os dirigentes pensam orientar os seus esforços para a remodelação do Salão Nobre António da Cunha, “presidente da colectividade durante longos anos e figura muito popular, tanto entre os associados, como entre a população do concelho”. E “vamos reactivar a Sala dos Petiscos”, confiam. Trata-se de um espaço, ocupado pelo bar durante os dias de trabalho, que aos sábados e domingos serve delícias gastronómicas pela mão dos próprios directores. Diga-se, como curiosidade, que os bares de todas as sociedades do concelho com bandas estão em regime de exploração de terceiros, excepto o bar da SFUS.

A mão amiga quando as tragédias abalaram o país e o concelho

“Assim, mercê de tudo o que foi vivido, e muito mais de que ‘Os Prussianos’ aspiram viver, eles continuam acalentando os mesmos sonhos largos e vontade ardente como em 1871! E a obra continuará a impor-se porque é nela que o povo quer rever a sua capacidade de vida, em harmonia sinfónica como a existente na música que cultivamos e na beleza transcendente do espírito de ‘União” – eis o excerto de um texto assinado pela direcção, nos anos 80, e que traduz o espírito que ainda norteia a colectividade.
Desde a sua fundação (1871) que a SFUS, consagrou parte da sua actividade a obras de natureza social e filantrópica, que evidenciam o respeito e o alto valor que dá à comunidade em que se insere.

Assim, é com orgulho que os associados recordam o comportamento dos seus antepassados ligados à SFUS no auxílio às populações de Benavente e Samora Correia quando do sismo de 23 de Abril de 1909; ou quando da pneumónica, em 1918, em que puseram a sede da colectividade ao dispor da Cruz Vermelha; ou quando do ciclone que arrasou o país, em 1941, ou da explosão na Fábrica da Pólvora, em 1948, prestando auxílio aos operários e famílias vítimas da tragédia.

O reconhecimento deste empenho em prol de causas sociais valeu-lhe várias distinções de instituições governamentais, municipais e cívicas.

B.I.
Nome: Sociedade Filarmónica União Seixalense
Também conhecida por: “Os Prussianos”
Data de Fundação: 1 Junho de 1871 – 149 anos
Principais actividades: Banda filarmónica, escola de música, karaté e bailes de Carnaval
Actual presidente: Fernando Simões

Por José Augusto

Comentários

- Pub -