Da cortiça aos casamentos, a 1.º de Dezembro precisa agora de obras e espaço

11
visualizações

Instituição esteve parada quase duas décadas

 

- Pub -

A Associação de Socorros Mútuos 1.º de Dezembro nasceu na noite de 22 de Novembro de 1883, pelas mãos de um grupo de mais de 100 operários da Fábrica da Cortiça que se reuniram no salão do Teatro Almadense. Assim, o nome começou por ser Associação dos Operários da Cortiça 1.º de Dezembro.

Tendo como objectivo criar uma organização que prestasse socorros aos seus sócios doentes e inabilitados, o nome ficou definido por motivos simples: 1 de Dezembro é uma data importante a nível nacional e por ser o primeiro dia do mês, tendo ficado definido que seria no início de cada mês que as jóias e as quotas seriam pagas.

Em 1884 o nome muda para Associação dos Operários da Cortiça e Artes Correlativas 1.º de Dezembro, visto que, pouco tempo após a fundação, começaram a ser aceites sócios de outras artes e ofícios do concelho de Almada. Depois disto, por motivos legais o nome foi mudado para Associação de Socorros Mútuos 1.º de Dezembro.

A associação teve a sua primeira sede em Cacilhas, até ao fim de 1887, ano em que a 1.º de Dezembro se mudou para Almada, onde acabaria por ser inaugurada a actual sede em 1905.

A sede que já viveu de casamentos e baptizados

Foi precisamente da sede que Jorge Cordeiro, de 65 anos, presidente da associação, falou a O SETUBALENSE. Presidente da instituição há 20 anos, assume que as obras feitas “há três anos, com apoio da Câmara Municipal de Almada”, foram um momento marcante, visto que a casa estava a funcionar a “50%”.

Assume ainda que, além das obras pelas quais tanto lutou, não é de momento possível que exista mais do que um centro de convívio, dado que, inclusivamente, a actividade da 1.º de Dezembro foi praticamente nula entre os anos 1960 e 1980.

Nessa altura, explicou, “havia um médico muito esporadicamente, por amor à camisola, e o salão nobre recebia casamentos e baptizados, com os rendimentos a virem apenas da parte logística”. “Não havia actividade social, nem muitos utentes”, acrescentou.
Agora, não há médico, mas era um espaço dedicado à saúde a principal valência que Jorge Cordeiro queria ver acrescentada à associação, bem como uma ampliação da sede, para que, “talvez”, fosse possível passar de um centro de convívio a um centro de dia.

Agora, é prestado “o mesmo serviço de uma mutualista, mas com acordos”, não só com a ajuda da segurança social mas também com clínicas associadas.

Actualmente com 500 associados, a Associação de Socorros Mútuos 1.º de Dezembro oferece no centro de convívio actividades de lazer e cultura como passeios e saídas, um grupo coral, cavaquinhos, ginástica, dança e “outros cursos dedicados aos interesses dos mais velhos”.

BI
Nome: Associação de Socorros Mútuos 1.º de Dezembro
Também conhecida por: 1.º de Dezembro
Localidade: Almada
Data de Fundação: 22 de Novembro de 1883 – 136 anos
Principais actividades: Saúde, centro de convívio, grupo coral, ginástica e dança
Actual presidente: José Cordeiro

Comentários

- Pub -