Misericórdia de Almada: Instituição histórica activa em dinâmica e projectos modernos

10
visualizações

Investimento de mais 10 milhões de euros para reabilitar Lar de Costas de Cão está na calha

 

- Pub -

A Santa Casa da Misericórdia de Almada comemorou em Maio 465 anos, assim consta no documento constitutivo da instituição que não faz qualquer referência ao dia. Foi em 1555, sendo a de Lisboa a primeira Misericórdia, em 1498. “Por isso se diz que a irmandade das misericórdias tem mais de 500 anos”, comenta Joaquim Barbosa, provedor da Santa Casa de Almada.

A comemoração deste ano não teve assim, como é habitual, cerimónias públicas ao nível de outros anos, nem exposições, nem seminários. Assim o recomendava a fase de contingência que se vivia no final de Maio, altura sempre escolhida para a celebração.
A instituição que teve Frei Luís de Sousa como provedor, de 1590 a 1597 está sedeada na zona velha de Almada, no mesmo edifício onde funcionou o antigo hospital do concelho. Hoje, para além da provedoria e serviços administrativos centrais, aquele espaço, depois de obras profundas, em 2001 recebeu o Centro de Apoio Integrado a Idosos de São Lázaro.

Colado a este edifício, na antiga capela medieval que dava apoio ao antigo hospital de Santa Maria de Almada, começou a ser edificada a Igreja da Misericórdia, que foi benzida em 1567. Depois de várias remodelações, a 1 de Novembro de 1755 o grande terramoto de Lisboa causou-lhe sérios danos.

Em 1758 já estava novamente erguida. Com várias obras de requalificação nos séculos XIX e XX, é em 2009 que a Santa Casa da Misericórdia de Almada e a Câmara Municipal candidatam a igreja a fundos comunitários e, anos mais tarde, com profundo restauro, recebe a classificação de Monumento de Interesse Público.

Outro dos grandes equipamentos da instituição é o Lar Granja Luís Rodrigues, no Monte de Caparica, adaptado para receber idosos nos anos 60 do século passado. Mais conhecido como de Costas de Cão, este é agora o grande alvo do projecto futuro da Misericórdia. É o que diz Joaquim Barbosa, provedor da Misericórdia de Almada desde 2010. Uma obra que representa “um investimento superior a 10 milhões de euros”, revela.
Fazendo contas a todos os prazos do concurso para a execução, mais avaliação da Segurança Social e Câmara de Almada, o provedor conta conseguir começar a obra no início de 2022. “É uma obra para dois mandatos”, considera.

O desafio é construir “praticamente um lar novo” sem prejudicar a qualidade de serviço prestado aos utentes”. Aliás, avança o provedor que foi desenhado um plano de deslocação dos utentes no mesmo espaço enquanto decorrem as obras. Obras essas que vão permitir “melhorar significativamente o acolhimento dos idosos, nomeadamente nos quartos”.

Apesar de não aumentar, significativamente, o número de camas esta operação vai permitir acolher os serviços administrativos e financeiros, gestão de transportes, armazém e cozinhas neste momento a funcionarem na unidade instalada na cidade de Almada, assim como a própria mesa da Misericórdia e também a construção de um auditório. Ao mesmo tempo, deverá permitir mais camas em lar no espaço de São Lázaro.

A grande preocupação de Joaquim Barbosa é o financiamento para a obra. A maior Misericórdia das 16 existentes no distrito, tem um orçamento de 9 milhões de euros para 2020, para dar resposta a mais de 7 mil utentes nas suas quatro linhas de valências, entre idosos famílias e crianças, gere mais de 360 funcionários e mais de uma centena de prestadores de serviço. “Parece ser uma verba grande, mas é limitada com todo o serviço que prestamos”, comenta.

É por isso que Joaquim Barbosa espera, com “convicção, que o Governo não vacile na publicação do aviso de candidatura ao Programa Pares”. Não tem dúvida que “sem esse apoio não conseguimos fazer a remodelação”. Prevemos que o Pares consiga comparticipar com 75% da obra” para este equipamento “importante para o concelho e mesmo para a região”.

Apoio transversal para idosos e crianças

A gerir o apoio do Rendimento Social de Inserção para a autonomia de várias famílias carenciadas do concelho, neste momento perto de mil, a Santa Casa da Misericórdia de Almada que, no período de crise pandémica estabeleceu uma parceria com a Câmara de Almada para entrega de alimentos e produtos de primeira necessidade, a intervém na área de idosos e dependentes e também da infância e jovens.

No apoio a idosos e dependentes, a instituição tem a funcionar um centro de recursos de ajudas técnicas, limpeza e apoio a idosos, oficina domiciliária, serviço de apoio domiciliário e transporte adaptado.

Na valência lares, recebe idosos no centro de São Lázaro, na cidade de Almada, e Lar Granja Luís Rodrigues, no Monte de Caparica.

Na resposta à infância, tem o centro integrado Arco-Íris, no Monte de Caparica, que funciona como centro de convívio e creche, o centro social da Trafaria e a Casinha, em vale Figueira, com pré-escolar e creche.

A Santa Casa tem ainda a seu cargo uma casa de acolhimento de jovens considerados de famílias problemáticas.

Comentários

- Pub -