Moita: Uma “Estrela maior” na cultura e coesão social das gentes da terra

61
visualizações

A pouco tempo de festejar os seus 151 anos, a instituição centenária da Moita apela aos sócios para que reforcem o seu “sentido de amizade” e de colectivismo

 

- Pub -

 

A Sociedade Filarmónica Estrela Moitense, uma das colectividades mais antigas do concelho da Moita, comemora em Outubro deste ano o seu 151º aniversário, que volta a ficar marcado pelo “empreendedorismo” das gentes de uma terra marcadamente rural que, desde cedo, demonstraram vontade pelo movimento associativo e que trabalharam para dar origem a “uma estrela maior”, motivadas pelo desejo comum de criarem uma banda de música naquela vila.

Nessa altura, a população local não possuía “grandes facilidades económicas”, o que veio a ser um “obstáculo ao crescimento” da sociedade. Conforme sublinhou o presidente da actual direcção, Manuel de Oliveira Filipe, durante as comemorações do ano passado, a data “gloriosa e festiva”, que recorda a sua fundação a 29 de Outubro de 1869, continua nos dias de hoje a servir de apelo ao “espírito do colectivismo de todos os sócios e simpatizantes, na certeza de conseguirmos unidos, festejar mais um aniversário de tão útil e brilhante existência da Estrela Moitense”.

O dirigente defende que, no futuro, a caminhada daquela instituição deve continuar a prosseguir com o “desejo sempre crescente de uma maior amizade, na certeza de melhor podermos dar continuidade a esta tão querida Estrela”. Com efeito, o passado ficou igualmente notabilizado pela organização de espectáculos “para a angariação de fundos, com relevância para a promoção de corridas de touros na antiga Praça da Caldeira”, como refere uma publicação da autoria do antropólogo Vítor Pereira Mendes, sobre o movimento associativo daquela região. Foi assim, entre os anos de 1904 e 1906, com a actividade tauromáquica a assumir um papel fundamental nas décadas de 20 e 30, altura em que chegou a “agenciar corridas na Praça de Touros de Aldegalega”, no Montijo.
Nesse período, a banda “Phillarmonica Estrella Moitense” não terá conseguido “atingir os seus fins” e, já na década de 60, uma “nova fornada de moitenses” assumiu os destinos daquela colectividade, tendo promovido um crescimento “extraordinário” nas áreas patrimonial, com as construções do ringue e do novo salão, e desportiva, com a implantação de distintas modalidades.

Em 1924, o desporto era já “parte importante das actividades” da sociedade, altura em que foram organizadas as “Grandes Festas Sportivas”, que contaram com corrida de sacos e de bicicletas, saltos de vara, jogo do pau, jogo da rosa e com as cavalhadas à “marialva”. No decorrer dos anos 60, promove o futebol, basquetebol e a patinagem, modalidades que acabaram por não ter seguimento. Ainda assim, a grande revolução na área desportiva chegaria no final da década de 70, com a ginástica, impulsionada por Manuel de Oliveira Filipe, entre outras individualidades ligadas ao associativismo.
Nos últimos anos, coube ao dirigente continuar a encabeçar a direcção daquele espaço, dando início a uma fase de transformação e adaptação dos espaços existentes, com o objectivo de “proporcionar aos sócios as condições ideais para a prática desportiva”.
Também o teatro e as revistas perduram na memória da Estrela, como uma das “mais importantes realizações” da sua longa vida.

Decorridos 150 anos de história, o responsável considera que muitos mais anos se seguirão, em prol da cultura, recreio e do desporto. “Que a intenção do nosso esforço frutifique em benefícios para a juventude moitense”, que o mesmo classifica ser “a nossa áurea recompensa, o nosso maior prémio”, com a chegada de mais um aniversário, no próximo Outono, recordando todos “aqueles que têm contribuído ao longo dos anos para o engrandecimento desta colectividade”, sublinhou, durante a sessão comemorativa realizada no último ano.

Uma “estrela” que continua a dar cartas

Nos dias de hoje, para além do trabalho desenvolvido ao nível da sua Academia de Música, a Estrela Moitense continua a dar cartas e a ser presença assídua em diversos eventos culturais e desportivos, nomeadamente, através de múltiplas actividades, tais como a ginástica, com a sua participação no sarau anual “GimnoMoita”, no Moita Dance Festival, bem como nas áreas do flamenco e das conhecidas sevilhanas do Grupo Soledad, criado em 1994 e que ali desenvolve a sua actividade, entre outras secções que integram a vida da sociedade, sedeada no centro da Moita, na Avenida Dr. Teófilo Braga.
Entretanto, também os bailes da Estrela “têm feito as delícias da população moitense e dos forasteiros”, destacando-se os “Bailes da Pinha” e de Carnaval, de fim-de-ano ou dos Santos Populares, acompanhados por diversos conjuntos musicais.

Durante alguns anos, a Estrela integrou ainda os cortejos alegóricos por ocasião das Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem e, numa outra vertente cultural, dinamizou uma biblioteca com cerca de mil volumes e uma escola de declamação. Promove ainda sessões de cinema gratuito para crianças, cede as suas instalações a festas das escolas do concelho, para além de promover o ballet, a ginástica de manutenção e infantil, tumbling, trampolins, acrobática e aeróbica. O ringue, inaugurado pelo centenário da colectividade, já foi palco de várias actividades, entre as quais, basquetebol, andebol, patinagem e futebol de salão.

B.I.

Nome:
Sociedade Filarmónica Estrela Moitense
Também conhecida por:
Estrela Moitense
Localidade:
Moita
Data de fundação:
29 de Outubro de 1869 – 150 anos
Principais actividades:
Ginástica, Futebol, Tumblig, BabyGym, Sevilhanas, Escola de Música e Yoga
Actual presidente:
Manuel de Oliveira Filipe

Comentários

- Pub -