Rui Garcia garante que Covid-19 está a surgir na Moita a um ritmo idêntico ao resto da região

126
visualizações

Autarca garante que população está a cumprir isolamento e afirma que a crise apenas se resolverá com entreajuda na comunidade

 

- Pub -

 

Com 38 casos de infecção por Covid-19 confirmados no concelho da Moita, o presidente da Câmara Municipal, Rui Garcia não considera que “haja um desenvolvimento mais rápido e alargado da infecção quando comparado com os outros municípios da região”.
Segundo o autarca, a análise dos números divulgados diariamente para cada concelho revela que o crescimento de casos no município da Moita “tem ocorrido em ritmo semelhante ao do país”, sendo revelador que o número de casos “em termos relativos face à população, isto é, em valor per capita, é também próximo do que acontece no resto da região”. E, até, “inferior ao de alguns concelhos limítrofes”, no caso de comparação com o Barreiro, por exemplo que apresenta 57 casos.

Para a monitorização da doença no concelho, Rui Garcia destaca o contrato celebrado entre autarquia e um laboratório local, “para a realização de testes aos profissionais do município mais expostos e a bombeiros”. E, também com o objectivo de controlar a incidência da Covid-19 no concelho, “a aposta na desinfecção regular de todas as ruas”.

Quanto a um alegado desrespeito da população pelas medidas de isolamento social que colocaria em risco o controle da doença, segundo afirmou recentemente Nuno Cavaco, presidente da Unão das Freguesias de Baixa da Banheira e Vale de Amoreira, território onde se regista maior número de casos, Rui Garcia comenta que, “a resposta dos munícipes às medidas determinadas pelo Estado de Emergência tem sido de grande responsabilidade e respeito pelas indicações das autoridades”. Quanto a situações de respeito, têm sido apenas “pontuais”.

Mais, o edil afirma que, “de acordo com as autoridades de saúde, não se verifica no concelho, nem nos concelhos limítrofes uma situação de disseminação comunitária da Covid-19”, motivo pelo qual não considera legítimo “associar o número de doentes a alegados incumprimentos do dever de recolhimento”.

Autarca lembra importância da ajuda em rede

Ainda com o objectivo de garantir o envolvimento de toda a população no controle da doença e no respeito pelas medidas impostas, em mensagem à população, partilhada através do canal oficial do Youtube do município, Rui Garcia destaca que “a solidariedade é um valor inestimável”. Por isso, desafia quem tem disponibilidade a contactar as instituições sociais da sua área de residência ou a junta de freguesia, e descobrir como pode apoiar outros habitantes. “Há pessoas que precisam de ajuda agora e vão precisar no futuro e o voluntariado nestas circunstâncias pode ser um contributo importante para que essas pessoas sejam ajudadas”, apela.

Rui Garcia considera que a pandemia “vai provocar problemas às famílias, seja por problemas de desemprego”, mesmo por situações de ‘lay-off’, e que estas “implicam perda de rendimentos”. Motivo pelo qual apela à entreajuda e destaca também a linha de social aos cidadãos, que já havia sido criada e está agora a ser potenciada no âmbito da epidemia Covid-19.

O autarca moitense assinala ainda que, neste esforço colectivo, estão também envolvidas todas as juntas de freguesia, com o apoio “às situações que decorrem do isolamento, das pessoas, que não podem fazer o seu abastecimento normal” ou “receber os medicamentos da farmácia”.

Um apoio que no território da União das Freguesias de Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, Nuno Cavaco também refere que só tem sido possível graças ao apoio de uma bolsa de voluntariado com mais de 100 pessoas envolvidas.

Com Ana Martins Ventura

Comentários

- Pub -