Município da Moita quer que regresso às aulas seja feito em segurança

13
visualizações

Organização de espaços e circuitos para circulação entre conjunto de medidas preventivas

 

- Pub -

A autarquia da Moita está a ultimar um conjunto de acções, em articulação com os agrupamentos de escolas do concelho, com o objectivo de “promover as medidas de segurança necessárias e adequadas junto da comunidade educativa” dos estabelecimentos de 1º ciclo do ensino básico e pré-escolar, respeitando um conjunto de orientações para o início das actividades do novo ano lectivo, no contexto da actual pandemia.

O funcionamento destes espaços, recorde-se, é da responsabilidade municipal e por essa razão, para além das acções de sensibilização para o pessoal não docente da educação pré-escolar, estão a ser realizadas outras sessões destinadas aos auxiliares de acção educativa do 1º ciclo do ensino básico, estando ainda envolvidos professores e coordenadores destes estabelecimentos.

De acordo com a câmara municipal, as equipas técnicas já “instalaram dispensadores de desinfectante nos locais considerados necessários” e estão ainda a “verificar os circuitos de circulação” dos alunos, bem como a organização de espaços e a colocação de suportes visuais para que “o regresso à escola, apesar de diferente, possa acontecer da melhor forma possível”.

No caso da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, onde está localizada a maior parte da população do concelho, por iniciativa e a convite da Autoridade Local de Saúde, aquele executivo anunciou que participará, antes do início das aulas e em conjunto com a Câmara da Moita, numa visita aos referidos estabelecimentos escolares, para “aferir as condições de segurança e o cumprimento” das normas e regras em vigor.

Criar condições para voltar à escola

“Temos participado e acompanhado os trabalhos necessários à criação de condições para que se volte à escola com a normalidade possível”, assegura a junta de freguesia liderada por Nuno Cavaco, que considera que esta é uma acção de importância “extraordinária”, uma vez que a participação de técnicos experientes e competentes da Autoridade de Saúde, “confere um maior grau de confiança a todos os agentes da comunidade educativa”, defende.

Recorde-se que de acordo as regras divulgadas no final da última semana pela Direcção-Geral de Saúde, as escolas “só serão encerradas” em caso de ‘elevado risco’ e o rastreio de quem esteve em contacto com doentes Covid-19 será realizado, preferencialmente, nas “12 horas seguintes à identificação do caso”, numa medida que “apenas pode ser determinada pela autoridade de saúde local”, envolvendo as mesmas entidades a nível regional e nacional.

Comentários

- Pub -