Montijo avança com novas medidas de apoio à saúde e às pessoas mais vulneráveis

69
visualizações

Testes, luvas e máscaras para Centro Hospitalar Barreiro-Montijo. Tenda médica. Isenção de taxas

 

- Pub -

 

O mais recente pacote de medidas decidido implementar pelo Gabinete de Crise da Câmara Municipal do Montijo é dirigido, nesta fase, à área da saúde e às pessoas mais vulneráveis do concelho. Mas em avaliação está já um conjunto de outras acções “de recuperação e estímulo económico para aplicação em fase posterior, aquando da estabilização/erradicação do surto da Covid-19”, anunciou a autarquia.

Protecção civil, saúde e apoio social são as áreas em que incidem, para já, as medidas adoptadas.

Um apoio financeiro “de 35 mil euros”, segundo avançou a O SETUBALENSE o presidente da Câmara, Nuno Canta, que preside também ao gabinete de crise, vai ser disponibilizado ao Centro Hospitalar Barreiro-Montijo (CHBM) para a realização de testes de despiste à Covid-19 a todos os que acorram às urgências com sintomas da doença.

Material de desgaste rápido, como luvas, máscaras cirúrgicas e produtos de desinfecção hospitalar, é outra das acções de apoio que a edilidade vai levar a efeito, neste caso, para a unidade hospitalar do Montijo.

Já ao Centro de Saúde do Montijo, a autarquia sublinha que vai fornecer telemóveis “para que possa ser feito o acompanhamento diário dos doentes infectados que se encontram em convalescença nas suas residências”.

Paralelamente, tal como Nuno Canta também já havia anunciado a O SETUBALENSE, foi “adquirida uma tenda insuflável e 50 camas desdobráveis para utilizar como hospital de campanha”, pode ler-se no comunicado do município, que acrescenta ter reforçado o número de “equipamentos de protecção individual para os trabalhadores municipais dos serviços essenciais, proteção civil e bombeiros do concelho”. Em curso, lembra a edilidade, encontra-se “a desinfecção de ruas e locais exteriores abertos ao público (farmácias, centros de saúde, supermercados, entre outros), em articulação com as juntas de freguesia”.

Sem pagar taxas até 30 de Junho

Além das medidas atrás referidas, enquadradas no âmbito da protecção civil e da saúde, o Gabinete de Crise da Câmara do Montijo decidiu também “proceder à isenção de rendas das casas de habitação social municipal até 30 de Junho”. A autarquia realça que esta medida, no domínio do apoio social, “abrange 458 agregados familiares, num total aproximado de 1 200 pessoas”. De igual forma, acrescenta, foi ainda “concedida a isenção das concessões municipais (cafés e lojas)” também até 30 de Junho.

No plano económico, ficam isentas de taxas municipais durante “os próximos dois meses” as micro, pequenas e médias empresas bem como o comércio local.

“Em ponderação encontra-se o apoio a famílias e empresas através da redução do preço da água”, revelou o município, destacando outras medidas já implementadas. Uma tem a ver com a criação da “Linha de Apoio Social gratuita, em articulação com as juntas de freguesia, para que seja possível levar a medicação e as compras de supermercado aos seniores, doentes crónicos e outras pessoas mais vulneráveis”. A outra, igualmente em curso, passa por “continuar a assegurar as refeições escolares aos alunos economicamente carenciados (escalão A da Acção Social Escolar)”, por um lado, e, por outro, o “funcionamento de três escolas básicas para acolhimento dos filhos dos profissionais de saúde, de socorro, segurança e outros serviços essenciais”.

A terminar, a autarquia frisa que todas as medidas adoptadas “estão em permanente avaliação”, sendo que em equação encontram-se outras acções a implementar de futuro.

Comentários

- Pub -