Todos a ligar 760 207 815 para eleger Festa Grande da Atalaia como maravilha

30
visualizações

Celebração arqui-secular pode passar à final nacional das 7 Maravilhas da Cultura Popular. Votação decorre até 10 de Agosto

 

- Pub -

A Festa em Honra de Nossa Senhora da Atalaia, também conhecida como Festa Grande, está entre as sete finalistas regionais, pelo Distrito de Setúbal, no concurso 7 Maravilhas da Cultura Popular e até 10 de Agosto será o voto do público a decidir se esta celebração arqui-secular irá passar à final nacional.

A Câmara Municipal do Montijo, que candidatou a festividade ao referido concurso nacional, veio agora lançar um repto às comunidades locais. “Até 10 de Agosto, vote 760 207 815 na candidatura da Festa em Honra de N. Sra. da Atalaia. Contamos consigo para chegar à final nacional”, apela a autarquia, sublinhando o objectivo de “valorizar e dar mais visibilidade” a esta que é uma das manifestações culturais “mais antigas do País”, constituindo-se como “referência única na região”.

Para trás ficaram as primeiras fases de selecção, agora tudo depende da votação do público.

“Durante os meses de Julho e Agosto, os finalistas regionais estarão sujeitos a votação (através de linhas telefónicas) para que sejam apurados os finalistas e, posteriormente, no último programa [transmitido na RTP] sejam consagradas às 7 Maravilhas da Cultura Popular”, reforça a edilidade.

Séculos de tradição

Celebrada no último fim-de-semana de Agosto, actualmente a Festa Grande envolve a participação de cinco círios – Quinta do Anjo, Carregueira, Olhos d’Água (Palmela), Azóia (Sesimbra) e Círio Novo da Jardia (Montijo) – em romaria ao Santuário de N. Sra. da Atalaia. Mas o número foi em tempos idos muito superior. “A romaria chegou a contar com 30 círios que, por motivos vários (as invasões francesas, restrições de saúde pública, entre outros), foram-se extinguindo”, salienta a autarquia, admitindo que a origem da celebração é desconhecida.

“Embora existam referências a esta Ermida [santuário] e peregrinação já no Século XIII, desconhece-se a data da primeira romaria, pelo que a romaria dos Oficiais da Alfândega, em 1507 (motivada pela peste que grassou por Lisboa), é tida como o grande momento expansionista do Santuário de Nossa Senhora da Atalaia”, revela o município, aludindo ainda a algumas particularidades e à evolução da tradição. “Inicialmente, os romeiros transportavam e colocavam junto ao altar do santuário uma vela grossa, um círio, de onde resultou o nome dado às romarias organizadas. Hoje, transportam as bandeiras que identificam a sua proveniência e promessa por determinada povoação, localidade ou comunidade.”

A cultura popular é o tema desta edição do concurso, que elege as 7 Maravilhas do património cultural material e imaterial de Portugal.

Comentários

- Pub -