Palmela dinamiza economia com uma dezena de obras que ultrapassa os dois milhões de euros

24
visualizações
O Cineteatro S. João em Palmela vai contar com um novo sistema de ventilação e de climatização mais eficiente

Infra-estruturação na Lagoinha e Vale de Touros e melhoria da eficiência energética na Piscina de Palmela representam quase metade do investimento

 

- Pub -

O município de Palmela anunciou, no final da última semana, o lançamento de concursos para uma dezena de obras no concelho, cujo valor global ultrapassa os dois milhões de euros.

As empreitadas para a infra-estruturação na Lagoinha e Vale de Touros e para a melhoria da eficiência energética na Piscina Municipal de Palmela representam a maior fatia financeira, ascendendo quase a metade do investimento total.

A empreitada, explica a autarquia, “visa a instalação de uma rede de esgotos domésticos com mais de quatro quilómetros de colectores (4.192m)” e permitirá ainda a substituição das condutas mais antigas, em fibrocimento, por outras em PVC, ao longo de 3 911 metros. Vão ser infra-estruturadas as ruas 13 de Maio, da Tranquilidade, da Barafunda e Travessa do Sossego (zona 2). Rua Manuel Maria da Silva à intersecção da EN379-2 e até à ligação à caixa de visita do emissário Olhos de Água/Lagoinha (zona 6). A obra “permite desactivar a ETAR compacta de Vale de Touros, ligando a rede já existente à que agora vai ser construída”, revela a autarquia. O traçado de colectores, adianta o município, vai passar pela Rua da Paz, Travessa da Paz, Avenida do Brasil e Rua dos Potes (zona 9) e vai também ser “intervencionada a Rua de S. Francisco” (zona 11).

Já a obra para melhoria da eficiência energética da Piscina Municipal de Palmela foi lançada por 426 mil euros. Inclui a instalação de “novos painéis fotovoltaicos” e “substituição de equipamentos de produção de águas sanitárias e da iluminação existente por LED”. Vão também ser substituídas, integralmente, “as coberturas” e instalada “uma cobertura térmica motorizada no plano de água”.

Com esta obra, a edilidade espera “elevar a classificação energética” da piscina de B- para A, bem como uma redução de quase “50% de consumos energéticos e emissões de gases com efeito de estufa”.

Outra das obras de maior monta também passa pela aposta na eficiência energética, bem como pela melhoria do conforto. Foi lançada pelo valor de 269 mil euros e diz respeito à instalação de “um sistema de ventilação e de climatização no Cineteatro S. João, em Palmela.

O actual sistema de aquecimento vai ser substituído por um “mais eficiente, híbrido, de aquecimento e arrefecimento”, sublinha a autarquia. Além disso, vai ser também substituída toda a iluminação tradicional por LED, entre outras medidas.

Rede viária e Encosta do Outeiro

No âmbito da rede viária está já a decorrer o concurso público para a 1.a fase da “Beneficiação da Circular Sul à Autoeuropa”, com um custo previsto de 199 mil e 280 euros.

Esta intervenção contempla “a reconstrução do pavimento num troço de quase 400 metros” e ainda “a sinalização horizontal e a melhoria da drenagem”. Em Agosto último, o município já tinha gasto cerca de cem mil euros na recuperação de 500 metros de troço entre a passagem superior sobre a linha de caminho de ferro e a Rotunda das Oliveiras (sentido Autoeuropa-Coina).

De resto, a autarquia lembra que tem apelado à tutela para que sejam encontradas “soluções, nomeadamente, no quadro do Plano Nacional de Investimentos, para a beneficiação de infra-estruturas em zonas industriais e, em concreto, das Circulares Norte e Sul da Autoeuropa”.

Igualmente aberto foi o concurso para a pavimentação da Estrada da Quinta da Várzea, em Quinta do Anjo. A empreitada, estimada em 201 mil e 400 euros, centra-se “na construção de uma via rodoviária local”, com 5,5 metros de largura e 1 200 metros de extensão, compreendida entre a EN379 e a Rua Manuel Martins Pitorra. A par dos trabalhos de “pavimentação, sinalização horizontal, criação de valetas e de quatro gares para contentores de RSU”, vai ser também executado “um prolongamento da rede de esgotos com cerca de 1 296 metros lineares, incluindo a execução de 35 ramais de ligação domiciliária, para permitir a futura ligação das construções existentes à rede pública”, salienta a autarquia.

Estimada em 49 mil e 979 euros, a obra de pavimentação de um troço da Rua Manuel Martins Pitorra (Quinta do Anjo) também já está em fase de concurso público. “O troço a intervir tem uma extensão de cerca de 450 metros e, além da pavimentação, a empreitada contempla a sinalização horizontal, a criação de valetas e prolongamentos de passagens hidráulicas ao longo da via.”

Também lançado, mas pelo valor base de 159 mil euros, foi o concurso para a estabilização da Encosta do Outeiro, em Palmela. “A obra consiste na limpeza, desmatação e saneamento de blocos instáveis, colocação de redes metálicas, execução de pregagens, projecções pontuais de betão, instalação de geotêxtil e execução de hidro sementeira”, revela o município.

Ainda incluída nesta empreitada está a instalação de um sistema de drenagem superficial de águas pluviais. O objectivo, segundo a autarquia, passa por “combater a erosão e assegurar a naturalização do talude”.

A Encosta do Outeiro apresenta na base “um conjunto de construções resultantes de uma operação de loteamento urbano de habitação que ficou parcialmente por concluir”, recorda a edilidade, acrescentando que tem realizado “uma monitorização permanente da situação”, além de ter solicitado “um estudo ao Laboratório Nacional de Engenharia Civil” para conhecer melhor “o nível de perigosidade que o talude oferecia”. Antes do actual concurso, o município adjudicara “por 11.500 euros um projecto para a consolidação e protecção do talude”.

Jardim de Cabanas vai ser requalificado para se tornar mais inclusivo

Na dezena de concursos públicos lançados pelo município para execução de obra, destaca-se ainda o da requalificação do Jardim de Cabanas, em Quinta do Anjo, no valor de 196 mil euros.

“A obra inclui a remodelação do espaço de jogo e recreio, criando uma zona inclusiva, com equipamento adaptado a todas as crianças e jovens”, bem como “o reforço e remodelação da iluminação, para melhorar as condições de utilização e segurança do espaço”. Os trabalhos englobam ainda “a manutenção e reforço da arborização, com a criação de uma estrutura verde no canteiro a norte, com espécies autóctones, e também o reordenamento e reforço do estacionamento automóvel existente na zona”, realça a autarquia.

O objectivo “é tornar o jardim mais aprazível, inclusivo e comunitário e também mais eficiente, contribuindo para a qualidade da imagem urbana” local, conclui o município.

Comentários

- Pub -