Câmara disposta a retirar amianto desde que obra seja financiada na totalidade

16
visualizações

A Câmara Municipal de Palmela diz estar disposta “a avançar com a retirada do amianto na Escola Básica Hermenegildo Capelo no âmbito do programa lançado pelo Governo, com recurso a fundos comunitários”, mas apenas se for ressarcida da totalidade do investimento. E disso mesmo afirma já ter dado conta à Área Metropolitana de Lisboa.

- Pub -

“A Câmara Municipal assumirá a empreitada, desde que seja garantido o financiamento a 100%”, revela a autarquia em nota de Imprensa, salientando que, de acordo com um diagnóstico efectuado e “já enviado”, foram identificados “2 944 metros quadrados” do referido tipo de material a retirar do estabelecimento de ensino.

“Esta é a última escola do concelho onde ainda existe amianto nas coberturas, já que o município procedeu à retirada deste produto nos edifícios escolares sob a sua responsabilidade há vários anos”, faz notar a edilidade, esclarecendo que na Escola Básica José Maria dos Santos, em Pinhal Novo, “está já prevista para este ano a terceira e última fase de remoção de amianto, com o processo a decorrer, não sendo necessária a intervenção municipal”.

“Há mais de uma década que a autarquia e a CDU, a nível local e nacional, vêm alertando para esta questão – de base ambiental, mas também de saúde pública, pelos graves riscos associados ao amianto – que é, justificadamente, fonte de preocupação e manifestações pela população”, lembra a edilidade. A finalizar, o município realça que “foi por iniciativa de ‘Os Verdes’ que nasceu a Lei n.º 2/2011, que prevê a detecção, 00monitorização e remoção de amianto em edifícios públicos”, criticando, a concluir, que o problema não tenha até ao momento conhecido uma resolução concertada.

Comentários

- Pub -