Covid-19: Santiago do Cacém suspende utilização de equipamentos municipais

38
visualizações
FOTOGRAFIA: DR

A Câmara de Santiago do Cacém suspendeu ontem a utilização dos equipamentos municipais desportivos e culturais, no dia em que subiu para 46 o número de casos activos de Covid-19 no concelho, disse o presidente da autarquia, Álvaro Beijinha.

- Pub -

A decisão foi tomada em reunião da Comissão Restritiva de Protecção Civil, após serem recebidos seis novos resultados positivos de testes ao novo coronavírus SARS-CoV-2, realizados nos últimos dias neste concelho do distrito de Setúbal, que vão motivar a realização de “mais cerca de 400 testes”.

“Existe alguma preocupação relativamente a alguns equipamentos municipais que vão suspender a actividade, pelo menos até ao final da semana, até percebermos qual vai ser a evolução da situação e porque estamos à espera de resultados de mais testes realizados entre ontem e hoje [terça-feira]”, referiu Álvaro Beijinha à agência Lusa.

O autarca sublinhou, por outro lado, que os resultados recebidos de testes realizados nos últimos dias em equipamentos como lares de terceira idade “foram todos negativos, até ao momento”, e que na última semana, entre segunda-feira e domingo, “foram feitos mais de 2 000 testes” à população do concelho.

“A situação é, naturalmente, preocupante, mas parece estar relativamente controlada. Os testes que estão a ser realizados, neste momento, são localmente e têm a ver com escolas, ATL [atividades de tempos livres] e uma ou outra empresa. Em todos os locais onde esteja ligada uma pessoa que testou positivo, vamos lá e fazemos um rastreio generalizado”, explicou o presidente da câmara.

A Comissão Restritiva de Proteção Civil inclui, além da câmara municipal, a Autoridade Local de Saúde, Guarda Nacional Republicana, Segurança Social e as quatro corporações de bombeiros do concelho, Santiago do Cacém, Santo André, Cercal do Alentejo e Alvalade do Sado.

Na sequência deste surto, o município anunciou no domingo que foi informada pelo director do Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém que o ano lectivo não se iniciaria ontem “por o delegado de saúde considerar não estarem reunidas as condições de segurança”.

“Visto o momento epidemiológico que estamos a viver na cidade de Santiago do Cacém, recomendamos que não seja iniciado o ano levito 2020/21 para todos os níveis do agrupamento no dia 14, adiando-o para 17, caso se verifiquem condições para tal”, comunicou via ‘e-mail’ o delegado de saúde, Joaquín Toro, de acordo com o município.

Segundo a câmara, ficam também suspensas as actividades de animação e apoio à família.

Já no sábado, o Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém tinha decidido cancelar o início do ano lectivo para os alunos do 1.º ciclo que estava também prevista para ontem. Este surto do novo coronavírus SARS-CoV-2 em Santiago do Cacém está relacionado com um outro que teve origem em Sines, detectado em 27 de Agosto, que motivou rastreios também nos concelhos vizinhos de Alcácer do Sal e Grândola.

Designado pelas autoridades locais como “surto ‘Champions'”, este teve origem num grupo de pessoas com “grau de proximidade elevado” que se juntaram em Sines para assistir pela televisão à final da Liga dos Campeões de futebol e “ficaram contagiadas”, de acordo com a responsável da unidade local de saúde pública, Fernanda Santos.

Lusa

Comentários

- Pub -