Profissionais do pré-escolar e tempos livres voltaram ao trabalho sem testes de Covid-19

8
visualizações

Para além dos funcionários sem testes, a autarquia diz que não recebeu orientações sobre desinfecção das escolas

 

- Pub -

 

A Câmara Municipal do Seixal voltou a exigir, pela segunda vez, testes de rastreio à Covid-19 aos cerca de 170 profissionais que desde ontem estão a acolher as 420 crianças do concelho.

Há cerca de quinze dias, o executivo municipal enviou um ofício ao ministro da Educação a alertar para a urgente necessidade de realização destes testes, mas a três dias da reabertura do ensino pré-escolar e das actividades de tempos livres, ainda não tinha recebido qualquer resposta da parte do Governo, pelo que insistiu que fosse realizado este rastreio aos educadores, auxiliares e funcionários dos refeitórios.

A preocupação da autarquia passa ainda pela “ausência de orientações e informação por parte do ministério para as acções de desinfecção e higienização das escolas e dos jardins de infância”, mas também neste caso, até ao passado dia 29 de Maio, continuava a “imperar o silêncio por parte do Governo”. E o mesmo acontece com os “1 263 alunos, professores e auxiliares do ensino secundário do concelho que já voltaram às aulas sem a realização dos referidos testes”.

Comentava então Joaquim Santos, presidente da Câmara do Seixal, que “está em causa a saúde das nossas populações, e neste caso em especial, das nossas crianças que voltam para a escola sem que se tenham realizado os testes de rastreio aos educadores e assistentes operacionais, que seriam fundamentais para despistar possíveis infectados e assim agir em conformidade”.

E acrescentava o seu descontentamento por, “não ter obtido”, até àquele momento, “qualquer resposta por parte do Governo, seja no que se refere aos testes de rastreio para quem regressou às escolas, quer aos bombeiros do concelho que estão diariamente na linha da frente”.

Quanto aos bombeiros, a 22 de Maio o executivo dava a saber que tinha insistido junto do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita que fossem realizados testes a todos os elementos das corporações do concelho. Mas também neste caso, ainda não terá havido resposta.

Ontem reabriram no concelho do Seixal 26 jardins de infância e 58 salas de pré-escolar. Para além das mais de quatro centenas de crianças, estão envolvidos 58 educadores de infância, 73 auxiliares de acção educativa e 40 funcionários nos refeitórios.

Comentários

- Pub -