Escorrência indevida em Corroios

27
visualizações

Funcionários da Câmara do Seixal e elementos dos Bombeiros do Seixal estiveram, no passado sábado, a limpar a Vala Real de Corroios para resolver um problema de salubridade que “teve origem em descargas indevidas de águas residuais domésticas oriundas do Município de Almada”, afirma o município seixalense.

- Pub -

São descargas que o presidente da Junta de Freguesia de Corroios, Eduardo Rosa, diz advirem de uma atitude “vergonhosa” e terem durado “mais de um mês”, dai a acção de limpeza só ter ocorrido agora. Esclarece o autarca que a limpeza só pode ser feita quando a descarga pára. Mas, ao que parece, ao final da tarde do mesmo dia, voltaram a surgir escorrências nesta vala que cruza o centro de Corroios.

Tratando-se de uma vala apenas para águas pluviais, pelo que outro tipo de escorrências como a que tem ocorrido, “são um crime ambiental e um risco para a saúde pública”, aponta Eduardo Rosa, que fala ainda no mau cheiro a que a população da vila tem estado sujeita.

Com a certeza que estas escorrências, que “costumam acontecer pontualmente” mas não durante tanto tempo com tem acontecido agora, “vêm de Almada”, o presidente da Junta de Freguesia de Corroios afirma que a presidente da Câmara vizinha já foi alertada para esta situação, mas a situação “não foi resolvida”.

A última queixa da parte do autarca, diz ter sido feita ao Ministério do Ambiente mas, até agora, “estamos a aguardar resposta”.

Entretanto, a solução parece ser, sempre que possível, colocar pessoal da autarquia e bombeiros a limparem a vala. Em mensagem no Facebook, Eduardo Rosa dá a entender que não está disposto a ficar parado com esta situação, a qual tem uma origem que diz conhecer.

Comentários

- Pub -