Bombeiros Voluntários de Sesimbra planeiam novo quartel para responder a exigências cada vez maiores

10
visualizações

Aos 117 anos de vida, a maior ambição passa por novas instalações na Freguesia do Castelo

 

- Pub -

Fundada em 1903, a Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Sesimbra surge após um incêndio de grandes dimensões e com a missão de impedir que mais alguma tragédia semelhante voltasse a acontecer na vila. Hoje é uma das instituições centenárias do concelho e mantém como principal actividade o apoio à população.

“No dia 11 de junho de 1902, a única fábrica que existia em Sesimbra, de conservas, onde hoje é o hotel Sana, sofreu um incêndio tremendo. Na altura, as autarquias eram as responsáveis pelo combate aos fogos e a Câmara Municipal tinha apenas uma bomba de água manual, pelo que tiveram de recorrer à ajuda de moradores com baldes de águas dos poços e do mar. Esse incêndio destruiu a maior indústria da vila”, contou António Fidelino, presidente da direção. “Aí houve necessidade de se criar uma comissão, liderada por Joaquim Marques Póvoa, que avançou para formar um corpo de bombeiros. A Câmara Municipal cedeu um terreno, várias pessoas da zona ajudaram e a comissão foi registada em inícios de 1903 e a 12 de Agosto de 1904 foi considerada como Real Associação humanitária pelo rei D. Carlos, que foi o primeiro comandante honorário”, acrescentou.

Passados 117 anos, o trabalho actual dos bombeiros voluntários passa pelo apoio à população. Entre casos pontuais como a abertura de portas ou o resgate de um animal de uma árvore, os operacionais têm várias solicitações diárias, nomeadamente para transporte de doentes.

A associação conta com um quartel à entrada da vila de Sesimbra e um destacamento na Freguesia da Quinta do Conde, com todo o equipamento necessário para prestar socorro. Têm 70 bombeiros das mais diversas especialidades e 41 viaturas.

Em termos de desafios, António Fidelino admite que a associação vive com algumas dificuldades e poucos apoios do Estado. “Os apoios governamentais não são muitos. Temos um protocolo com a Câmara Municipal, com o INEM e com o CODIS, mas não é suficiente. As exigências cada vez são maiores e as viaturas cada vez são mais, pelo que os encargos aumentam”, afirmou o presidente, que apontou também à necessidade de novas instalações, já que o edifício actual está “ultrapassado”. O objectivo é a mudança para um novo espaço na Freguesia do Castelo. No entanto, os obstáculos não impedem que o serviço seja cumprido: “Temos o nosso comando operacional e o corpo activo a funcionar em pleno e uma equipa a funcionar desde dia 15 e que se manterá até ao final do Verão exclusivamente para socorros ao nível de incêndios.”

B.I
Nome: Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Sesimbra
Também conhecida por: Bombeiros Voluntários de Sesimbra
Localidade: Sesimbra
Data de fundação: 1903
Actividades principais: Socorro, combate a incêndios e transporte de doentes
Actual presidente:
António Fidelino

Comentários

- Pub -