Setúbal reabre pré-escolar com desinfecção especializada e formação de profissionais

61
visualizações

Desinfecção de salas do pré-escolar e formação de profissionais está a ser garantida pela Câmara e militares

 

- Pub -

As salas do ensino pré-escolar público reabrem a 1 de Junho e a Câmara Municipal de Setúbal já está a colocar no terreno um conjunto de acções para o regresso das crianças em segurança, naquela que é mais uma das fases do plano gradual de desconfinamento delineado pelo Governo.

A reabertura deste nível de ensino inclui a “limpeza, desinfecção e higienização de todos os estabelecimentos de ensino público pré-escolar”. As acções abrangem tanto espaços exteriores como interiores. E no caso dos espaços interiores, “é utilizado um processo de ozonização, que não liberta substâncias nocivas para a saúde”, esclarece a autarquia.


A Câmara de Setúbal está também a desenvolver reuniões com as direcções de todos os agrupamentos de escolas e assistentes operacionais. Estes profissionais estão ainda a receber formação pela Marinha Portuguesa, “sobre procedimentos relacionados com a desinfecção para protecção contra a Covid-19”, assim como vão receber Equipamentos de Protecção Individual e fardamento.

2500 assistentes operacionais na península testados

Entretanto, em declarações a O SETUBALENSE, fonte da Área Metropolitana de Lisboa (AML) confirmou que no início de Maio foram realizados testes a 2 500 profissionais de 215 creches da península de Setúbal, entre os quais se confirmaram apenas 7 casos positivos”.

Esta avaliação permitiu que, no dia 18 de Maio, o Governo desse início à abertura de creches particulares. Só na península de Setúbal foram 150 as valências que voltaram a receber crianças, “e que correspondem a 70% de toda a oferta desta região”.

Medidas que têm como objectivo avaliar e proteger profissionais e utentes de serviços com risco elevado de contágio, e que têm sido colocadas em prática através de um protocolo entre a AML e os seus 18 municípios. Estão ainda envolvidas entidades locais como Agrupamentos de Centros de Saúde, Protecção Civil e Segurança Social.

Ao abrigo deste protocolo, na península de Setúbal também já foram testados cerca 5 300 profissionais de lares legalizados e não legalizados, referiu a mesma fonte. Destes, apenas 5 casos deram positivo, correspondendo a 0,1% do total de profissionais de lares da península.

Comentários

- Pub -