3 Dezembro 2020, Quinta-feira
- PUB -
Início Local Setúbal Capricho renasce em 2020 com escola de jazz e toque do Hot...

Capricho renasce em 2020 com escola de jazz e toque do Hot Clube de Portugal

Setembro será mês de lançar o jazz na Sociedade Musical Capricho Setubalense, mas também vem aí a nova Escola de Rock

 

- PUB -

A Covid-19 quase deitava os seus novos projectos por terra, mas a velhinha Sociedade Musical Capricho Setubalense (SMCS] provou estar mais enérgica do que nunca, ao 153 anos, com a formação de uma Escola de Jazz em parceria com Hot Clube de Portugal. Um projecto que contará com direcção do maestro Luís Cunha. O mesmo que dirige a Big Band do Hot Clube de Portugal.

“É a cereja em cima do bolo, para 2020”, celebra Sérgio Gabriel, presidente da direcção, referindo que a SMCS “persegue esta ideia há algum tempo, devido ao facto de ser parceira da Câmara de Setúbal, na organização do Círculo de Jazz Fest”.

O formato da nova escola também é desvendado pelo dirigente associativo, “com aulas de combo, até porque o objectivo é dar oportunidade de tocar em conjunto, para além de aprenderem a teoria do jazz”. Estão também planeadas aulas para Big Band, “com o objectivo de criar uma orquestra de jazz”.

- PUB -

A Escola de Jazz também fará par com a nova Escola de Rock. “Um projecto que vem recuperar o espírito do rock vivido em Setúbal nos anos 80 e 90, com as bandas de garagem e outras formações musicais dedicadas ao Metal”. E, à semelhança do jazz, as aulas de banda serão a grande aposta do rock.

Novos projectos através dos quais a SCMS pretende diversificar a oferta formativa, em Setúbal “até porque na cidade não tem nada com este modelo”, assume Sérgio Gabriell, em referência ao jazz e rock.

Com esta renovação será também possível trazer mais autonomia financeira à Capricho, “porque estas áreas da música vão trazer novos sócios e novas gerações para dar continuidade à Capricho”, para além dos mais de sessenta músicos que recebe actualmente.

- PUB -

Este ano, a Capricho também vai reforçar a sua actividade com bolsas “para quem não tem possibilidade de pagar mensalidades”. E com a continuidade da Escola de cordas, que contempla o piano, o violino, o contrabaixo e guitarra.

Novo lugar na sociedade

Nos objectivos de 2020 está também a aprovação do Estatuto de Utilidade Pública, ao qual a Capricho se candidatou e que vai “vai permitir alcançar outro tipo de apoios, por parte do Estado”. Garantia de que, face a uma crise como a actual, “a sociedade terá como sobreviver”.

Partir rumo a esta conquista só foi possível com a revisão dos estatutos. “Eram muito antigos, datados do início do século XX, completamente desactualizados e não nos permitiam avançar para outros patamares, apesar da nossa idade e do trabalho aqui desenvolvido, enquanto única filarmónica da cidade”, explica Sérgio Gabriel.
Apesar da renovação dos estatutos o presidente garante, “a actividade principal da Capricho é a música e assim permanecerá, até porque esse é o primeiro dos seus estatutos”.

- PUB -

Mais populares

St. Peter’s: Investimento de 4,6 milhões abre a porta a mais de 200 alunos

Novo edifício projectado para Setembro de 2021 permitirá também ao colégio ter alunos em regime de internato Nas actuais instalações, na Volta da Pedra, Palmela,...

Ginjal promete dar mais élan a Cacilhas e fazer ‘inveja’ à margem norte

Uma nova cidade vai nascer na beira Tejo de Almada com espaços para promover o turismo, promoção cultural e zona habitacional A proposta relativa ao...

Denúncia de alegada fraude fiscal de Paulo Rodrigues seguiu para as Finanças

Em causa as comissões recebidas pelo agora presidente do Vitória quando era empresário.   O SETUBALENSE teve acesso à documentação remetida esta semana por um sócio...
- PUB -