30 Novembro 2020, Segunda-feira
- PUB -
Início Local Setúbal Roazes espreitaram no Sado novo barco que os vai vigiar

Roazes espreitaram no Sado novo barco que os vai vigiar

A ASA foi adquirida pela Tróia-Natura e vai ser usada pelo ICNF

Os roazes do Sado mostraram-se ontem para ‘abençoar’ o baptismo de mar da nova embarcação que está agora ao dispor das equipas do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) para monitorizar e investigar aqueles animais.

- PUB -

Adquirida pela Tróia-Natura para funcionar nas mãos do ICNF, a embarcação ASA passeou um pouco pelo estuário com vários responsáveis a bordo, entre os quais Pedro Bruno, administrador da Tróia-Natura, Nuno Banza, presidente do ICNF e João Paulo Catarino, secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e da Ordenação do Território.

Antes do passeio, Pedro Bruno admitiu que “os roazes do Sado são, sem dúvida, uma das principais atracções da península de Tróia”, acrescentando que “desde o arranque do projecto turístico” existe a convicção de que “o património natural e cultural de Tróia e da área envolvente” é a “maior riqueza” do local.

Nuno Banza, presidente do ICNF, disse que esta nova aquisição cria “melhores condições” para que a “função do Estado” seja exercida de maneira a “manter o equilíbrio entre os interesses directos dos operadores e os interesses gerais da população, que são os interesses da conservação da natureza”.

- PUB -

“Todas as medidas que permitam aumentar a capacidade do Estado de acompanhar e intervir através dos vigilantes, dos técnicos superiores e dos outros investigadores que acompanham a vida no rio, ou no estuário, são objectivamente ganhos para toda a gente”, disse ainda.

A representação governamental ficou a cargo de João Paulo Catarino que, questionado por O SETUBALENSE, frisou que este “reforço de meios materiais, que será complementado com meios humanos”, é uma “aposta clara do Governo” para as referidas áreas protegidas e, “no caso concreto”, para Tróia.

“O capital ambiental é hoje um activo diferenciador, até na perspectiva do turismo. Para nós é muito importante este capital natural e que possa ser valorizado, mas para isso temos de criar regras, monitorizar, fiscalizar. Para isso são preciso meios”, acrescentou.
O secretário de Estado regozijou-se ainda com o facto de haver cada vez mais a consciência da população em como a “biodiversidade tem um potencial enorme, não só para a vida humana e sustentável, mas também numa perspectiva turística”.

- PUB -

“Isto para uma região que aposta claramente no turismo, e com este potencial turístico, pode ser também uma forma de captar este nicho de turistas que é tão importante para o país”, finalizou.

- PUB -

Mais populares

St. Peter’s: Investimento de 4,6 milhões abre a porta a mais de 200 alunos

Novo edifício projectado para Setembro de 2021 permitirá também ao colégio ter alunos em regime de internato Nas actuais instalações, na Volta da Pedra, Palmela,...

Investigador do Politécnico de Setúbal entre os mais citados em todo o mundo

O professor Vítor Pires é um dos 37 portugueses que integram a lista especial da Universidade de Stanford   Vítor Fernão Pires, docente da Escola Superior...

Denúncia de alegada fraude fiscal de Paulo Rodrigues seguiu para as Finanças

Em causa as comissões recebidas pelo agora presidente do Vitória quando era empresário.   O SETUBALENSE teve acesso à documentação remetida esta semana por um sócio...
- PUB -