18 Janeiro 2021, Segunda-feira
- PUB -
Início Local Setúbal Autoeuropa consolida liderança no distrito a crescer mas Navigator é imbatível nos...

Autoeuropa consolida liderança no distrito a crescer mas Navigator é imbatível nos resultados líquidos

O SETUBALENSE dá a conhecer na edição especial de hoje o Ranking das 500 Maiores Empresas do Distrito de Setúbal, da consultora IBERINFORM Portugal

 

- PUB -

A Volkswagen Autoeuropa voltou a crescer em todos os indicadores económicos em 2019 e consolidou a liderança no Ranking das 500 Maiores Empresas do Distrito de Setúbal, elaborado pela IBERINFORM Portugal. Mas, a The Navigator Company – que se mantém “de pedra e cal” no 2.° lugar, apesar de quebras nos números – continua a ser a empresa que apresenta os maiores resultados líquidos. O pódio é fechado pela Repsol Polímeros.

A fábrica de produção de automóveis da marca alemã, instalada na Quinta do Anjo, Palmela, atingiu um volume de negócios de 3,7 mil milhões de euros, valor que representa uma variação positiva de 15,08% em relação a 2018 – ano em que a empresa (tal como a Navigator) cresceu mais de 60% neste indicador.

De acordo com os dados da IBERINFORM Internacional – sucursal em Portugal, a Autoeuropa registou ainda variações positivas de 3,98% e 14,69%, respectivamente, nos resultados líquidos (obteve 46,05 milhões de euros que comparam com os 44,29 apurados em 2018) e no valor de exportações (cresceu de 2,89 mil milhões de euros para 3,3). O número de empregados foi reduzido em 4,13%, com a empresa a passar dos 5 884 (em 2018) para os 5 641 (em 2019).

- PUB -

Em sentido inverso, a The Navigator Company sofreu perdas em todos os principais indicadores económicos, excepto no valor facturado nas exportações que aumentou 2,39%, de 1,34 mil milhões de euros para 1,37 mil milhões. Localizada no Parque Industrial da Mitrena, em Setúbal, a empresa ligada ao comércio por grosso no segmento da produção de papel e pasta registou um volume de negócios de 2,42 mil milhões de euros, quando em 2018 havia alcançado a casa dos 2,54 mil milhões – uma variação negativa de 4,69%. Os resultados líquidos apurados, apesar de terem caído dos 228,2 para os 168,2 milhões de euros (menos 26,27% do que no ano anterior), continuam a ser, de longe, os mais expressivos do sector empresarial no distrito. Em 2019, a empresa contava com 594 empregados (menos 17 face a 2018).

De resto, o Grupo Navigator consegue ainda colocar outras duas empresas entre o lote das 11 primeiras do ranking: a Navigator Paper Setúbal (que baixou do 4.° para o 5.° lugar) e a Navigator Pulp Setúbal (caiu três posições para o 11.° posto). Já a Navigator Brands – que em 2018 entrou directamente para a 5.ª posição – surge agora no 22.° lugar.

Repsol Polímeros em queda livre nos resultados líquidos

- PUB -

Com uma variação positiva de 25,93% no volume de negócios (cresceu de 512,4 milhões de euros para 645,3), a Repsol Polímeros, em Sines, que se dedica ao fabrico de matérias plásticas sob formas primárias, fecha o pódio – subiu três lugares em relação a 2018.

Em termos de resultados líquidos teve uma perda considerável, ao quedar-se por um encaixe de 1,7 milhões de euros, quando um ano antes tinha apurado 34,8 milhões, o que se traduz numa variação negativa de 105,06%. Bem positiva (26,34%) foi a variação relativa ao valor das exportações, que aumentou dos 495,1 milhões de euros para os 625,5. Em 2019, a Repsol Polímeros foi uma das empresas que cresceu no número de empregados: passou de 499 para 561 funcionários (+12,42%).

Indorama cresce 97,98% no volume de negócios

A Midsid, empresa de comércio por grosso de tabaco, instalada em Alcochete, subiu do 7.° ao 4.° lugar do ranking. Registou crescimentos de 18,66% e 4,58%, respectivamente, no volume de negócios (que atingiu os 602,1 milhões de euros) e nos resultados líquidos (3,1 milhões de euros). A empresa aumentou o número de empregados para 296 (eram 250 em 2018).

A Navigator Paper Setúbal, com um volume de negócios de 569,8 milhões de euros (-10,88% do que no ano anterior) e uma quebra de 72,42% nos resultados líquidos (18,8 milhões de euros), e a Siderurgia Nacional Seixal, que baixou 12,98% no volume de negócios (448,9 milhões de euros) e 76,71% nos resultados líquidos (6,6 milhões de euros), ocupam respectivamente o 5.° e o 6.° posto.

O destaque maior vai para a Indorama Ventures Portugal, localizada no Monte Feio, Sines. A empresa, que se dedica ao fabrico de produtos químicos orgânicos de base, foi uma das que registou no distrito maior crescimento (97,98%) no volume de negócios – atingiu os 418,2 milhões de euros – e conseguiu entrada directa no top 10 (ocupa o 7.° lugar). Ainda assim, apresentou resultados líquidos negativos na ordem dos 1,49 milhões de euros, que comparam com os 6,2 milhões negativos registados em 2018.

Logo a seguir, com uma variação positiva de 9,49%, que lhe permitiu transacções no valor de 338 milhões de euros, vem a Benteler (fabricante de peças para automóveis, instalada em Palmela) que ganhou uma posição no ranking, tal como a Aldi, que ocupa o 9.° posto. Com instalações logísticas no Montijo, a empresa ligada ao comércio a retalho em supermercados, cresceu 13,77% no volume de negócios (294,3 milhões de euros).

A encerrar o lote das maiores empresas na listagem encontra-se a Megaço Produtos Siderúrgicos, Palmela. Com apenas cinco empregados (número que já apresentava em 2018), a empresa que se dedica ao comércio por grosso de minérios e metais surge pela primeira vez entre os 10 primeiros lugares com um volume de negócios de 270,5 milhões de euros (-5,95% do que em 2018).

Dez empresas de fora por falta de Depósito de Prestação de Contas

De fora do ranking por não terem feito Depósito de Prestação de Contas ficaram 10 empresas. Entre estas encontra-se a Infraestruturas de Portugal, sediada em Almada, que, com um volume de 1,15 mil milhões de euros, figurava no 3.° lugar da listagem de 2018.

Hanon Systems Portugal, SGL Composites, Samvardhana Motherson Peguform Automotive Technology Portugal, Garcias, Hempel, Marec Espaço Casa, Lauak Aerostructures Setúbal, Oceanic e Casa Ermerlinda Freitas completam o grupo de empresas excluídas do ranking. Já a EMA21 não surge na listagem por ter sido dissolvida.

A IBERINFORM Portugal, responsável pela elaboração do ranking, nasceu no território luso em Setembro de 2016, na sequência da aquisição de 80% do capital da Ignios pela IBERINFORM Internacional. Com escritórios em Lisboa e Porto, a consultora é a filial da Crédito y Caución que oferece soluções de gestão de clientes para as áreas financeiras, de marketing e internacional. Fornece bases de dados para a identificação de novos clientes e ferramentas que facilitam a gestão de riscos, a análise e acompanhamento de clientes ou sectores.

- PUB -

Mais populares

Covid-19 obriga Hospital de Setúbal a activar pela primeira vez nível vermelho de Crise ou Catástrofe

Administração assume em circular normativa que estrutura para atender infectados dá sinais de completa saturação   A administração do Hospital de São Bernardo, em Setúbal, activou...

Apreendidos mais de 330 quilos de pescado em Sesimbra. Valor ultrapassa 4600 euros

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR, por intermédio do Subdestacamento de Setúbal, apreendeu ontem mais de 300 quilos de pescado, em Sesimbra, numa...

Empresa de transportes da Área Metropolitana de Lisboa entra em funcionamento no dia 17

A empresa de Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML), que irá gerir o serviço de transporte rodoviário público na Área Metropolitana de Lisboa (AML), vai...
- PUB -