O Covid-19 – Uma oportunidade

21
visualizações
Mário Moura - Médico

A Páscoa passou praticamente em branco para a maioria das pessoas para quem ela era  uma simples festividade, e que sentiram apenas as dificuldades nas viagens tradicionais para se juntarem nas festividades  duma tradição sem – para muitos – qualquer sentido religioso – sendo por isso apenas uma contrariedade provocada pelas restrições impostas pelas medidas da luta contra a pandemia do “covid 19”. Para esses realmente “o Costa proibiu a Páscoa”.

- Pub -

Na realidade ninguém viveu uma “praga” como esta que a humanidade está vivendo. Aqui entre nós sentimos algumas vezes um arremedo de epidemia com a vulgar gripe que praticamente não perturbou nunca a nossa vida como agora está acontecendo.

Íamos lendo e ouvindo nos órgãos de informação notícia de alguns “desastres” provocados por certas doenças raras, em geral lá pelas Áfricas ou pelo Oriente, provocados por agentes novos para o conhecimento médico (gripes provocadas por virus mais agressivos que o comum ou doenças muito mais graves como o Ébola).

Mas uma doença como a que estamos vivendo NO MUNDO INTEIRO, provocada por um agente muito pouco conhecido, se não mesmo desconhecido, das comunidades científicas, e que se propagou  a uma velocidade incrível, sem qualquer medicamento conhecido para o seu tratamento, sem ter uma vacina em que se possa estabelecer uma barreira à sua propagação e…. que mata às centenas por dia nas grandes urbes e nos países em que a medicina tem atingido um desenvolvimento que a todos nós causava espanto – uma medicina que “troca” órgãos doentes por outros novos, uma medicina que que ajudava de maneira sensível a que a probabilidade de vida nos países ditos civilizados fosse ultrapassando os 80 anos , uma medicina que era o orgulho para os homens de hoje. Orgulho não só pela medicina mas por muitos outros êxitos da tecnologia, orgulho por ter conseguido colocar um homem na lua ou por ter no espaço uma estação onde estão vivendo humanos. Orgulho por ter construído supercomputadores que efetuam cálculos em tempos incríveis ou que estão no caminho para construir robots, atingindo até uma inteligência artificial.

E afinal está sem capacidade para reter a propagação desse ser ultra microscópico que dá pelo nome de “covid19” !! Esse virus que alem de ser o problema sanitário que estamos vivendo, faz parar tudo e todos que assim, mesmo os países chamados desenvolvidos vão cair numa crise económica  cuja dimensão ainda se não consegue prever. Que vem mudar costumes, maneiras de ser, organizações políticas e económicas, tipos de governação que ninguém ainda  sabe como serão. Será que o homem recebe esta mensagem para se tornar mais humilde e construir uma sociedade nova sem os vícios desta em que vivemos. Os cristãos para quem esta época Pascal é o momento alto da sua religião, esses sentiram nos seus corações o impedimento para colaborarem – E VIVEREM –  estas festividades que têm uma importância capital para o reforçar da sua Fé na mensagem que Cristo lhes trouxe.. Mas as restrições necessárias para tentar travar a ação do tal vírus, não impediram que os verdadeiros crentes não vivessem a sua  Páscoa.

Os ambientes restritivos e as separações das famílias foram uma  oportunidade para viverem na sua interioridade toda Boa Nova que Cristo lhes veio trazer, toda a sua certeza de que a vida não termina com a morte física, mas continua duma forma “gloriosa” no seio do Criador.  Mais, os cristãos têm uma oportunidade de serem motor das transformações absolutamente necessárias, fazendo a mesma revolução que Jesus fez no seu tempo de vida terrena, e têm a possibilidade de dar início ao que o Papa Francisco chama “de revolução da ternura” para que a vida das nações não prossiga baseada num verdadeiro “deus mercado” cujas consequências todos temos vivido – concentração da riqueza numas centenas  de pessoas enquanto milhões e milhões continuam na pobreza. Estamos num momento em que temos de ajudar Deus já que ELE nos ensinou o Caminho !  O DO AMOR!

Comentários

- Pub -