Comemorar Abril em tempos de pandemia

37
visualizações
Paula Santos, deputada do PCP

Estas últimas semanas têm sido particularmente difíceis para os trabalhadores e para as famílias.

- Pub -

O capitalismo revelou o pior: mesmo num quadro de pandemia, onde importa proteger a saúde dos trabalhadores e da população, o patronato aproveitou a frágil situação para despedir trabalhadores, cortar salários e direitos, deixando esses trabalhadores e suas famílias ainda com mais dificuldades. O resultado é o crescimento da pobreza e das desigualdades.

Por outro lado, o confinamento de muitas famílias à sua habitação tem sido de uma enorme exigência. Sair de casa só quando estritamente necessário; estar em teletrabalho e simultaneamente acompanhar os filhos, tarefas que são incompatíveis, ou dar apoio aos filhos com o ensino à distância, tem sido a realidade de muitas famílias.

É neste contexto que iremos comemorar a Revolução de Abril.

A comemoração da Revolução do 25 de Abril tem um enorme significado, sobretudo nos tempos atuais. A Revolução de Abril derrotou o fascismo, pôs fim à guerra colonial, à opressão e à restrição de liberdades, e conquistou o regime democrático e com ele os direitos, liberdades e garantias, trazendo consigo os valores da solidariedade e da fraternidade, da paz e da igualdade. É preciso que não esqueçamos e que diariamente esteja presente a defesa dos valores e das conquistas de Abril.

Significou avanços sem precedentes, que muitos já tentaram destruir, mas que mesmo após vários ataques e retrocessos, é certo, tem resistido. Pode-se dar o exemplo da intenção de PSD e CDS de acabar com o subsídio de férias e de natal e que a nossa Constituição não permitiu. Mas pode-se também falar do Serviço Nacional de Saúde, que embora com dificuldades, se afirma como o instrumento para garantir o direito à saúde a todos.

Se há coisa que a atual pandemia revela, é a importância do Serviço Nacional de Saúde no combate ao novo coronavírus. Se não houvesse Serviço Nacional de saúde, quem tivesse condições financeiras tinha acesso aos cuidados de saúde, quem não tivesse era deixado à sua sorte. Mas revela também que é fundamental investir e reforçar a capacidade do Serviço Nacional de Saúde para ultrapassar as dificuldades e assegurar a resposta necessária aos utentes.

Por isso, o Serviço Nacional de Saúde, conquista da Revolução de Abril e o seu carácter público, universal, geral e gratuito é o garante que todos têm acesso aos cuidados de saúde com qualidade, independentemente das suas condições económicas.

Nem o regime democrático, nem os direitos estão de quarentena. Esta é mais uma razão para comemorar o 25 de Abril, para afirmar os valores da Revolução e defender os direitos e liberdades conquistados. Por isso, apelo a que todos, no dia 25 de Abril às 15h, venham à janelas ou varandas para cantar a Grândola Vila Morena e o Hino Nacional.

Neste tempo de pandemia, não deixaremos de comemorar Abril. Demonstramos que não nos resignamos ao medo e que lutamos! Que lutamos por um Portugal de Abril, democrático e soberano! Que lutamos pelo reforço dos direitos e pela melhoria das condições de vida dos trabalhadores e do povo!

Comentários

- Pub -