25 de Abril Sempre!

23
visualizações
André Martins, Presidente da Assembleia Municipal de Setúbal

Pela primeira vez, em 46 anos de democracia, as comemorações do Dia da Liberdade ficaram condicionadas, devido às medidas de contenção necessárias ao combate à propagação da pandemia COVID-19.

- Pub -

No atual quadro de confinamento e isolamento social, em que vivemos, justificou-se a não realização, este ano, da tradicional sessão publica comemorativa do 25 de Abril de 1974 pela Assembleia Municipal de Setúbal. Esta decisão está alinhada com a postura corajosa, responsável e confiante que a esmagadora maioria da população portuguesa tem assumido perante uma ameaça mortífera para as comunidades humanas.

Apesar dos constrangimentos era imperioso não desistir. Recorrendo à criatividade e a formas alternativas, foi possível, com contenção, mas igualmente com dignidade, assinalar o Dia da Liberdade.

Ontem como hoje, a nossa luta como povo continua.

Em 25 de Abril de 1974 saímos à rua para derrubar a ditadura e o fascismo e afirmar a liberdade na construção de um Estado democrático.

Hoje ficamos em casa para combater o Coronavírus. Assumimos responsavelmente a luta pela defesa da vida. Como comunidade num Estado democrático cumprimos generalizadamente as exigências de confinamento e isolamento social e saudamos o esforço e dedicação de todas e de todos os que, com risco da própria vida, continuam a trabalhar para o bem comum.

Ontem, a revolução dos cravos mereceu-nos o reconhecimento e a admiração da comunidade internacional. Hoje somos elogiados pela forma serena, mas determinada como combatemos a pandemia.

Estas são razões bem fortes para nos sentirmos orgulhosos de ser portugueses e, por maioria de razão, setubalenses, sadinos e azeitonenses nestas terras onde abril floriu.

Comemorar Abril é homenagear todos aqueles que, muitas vezes com o risco da própria vida, lutaram contra um regime policial e obsoleto, que mantinha uma guerra colonial fratricida e dificilmente subsistia marginalizado na comunidade internacional. Comemorar Abril é também saudar o Movimento das Forças Armadas e os gloriosos Capitães que souberam entregar ao Povo em liberdade os destinos deste nosso Portugal.

Quando hoje lutamos contra um inimigo sem rosto é mais fácil reconhecermos a importância da existência de um Serviço Nacional de Saúde geral, universal e tendencialmente gratuito, como prevê a Constituição da República Portuguesa. Esta conquista de Abril, que tantas vezes tem sido ameaçada e subestimada, tem sido reconhecida como garantia do nosso maior sucesso no combate à crise pandémica.

Também o Poder Local Democrático, uma das mais importantes conquistas do 25 de Abril, tem afirmado o seu papel determinante e imprescindível enquanto poder de proximidade reconhecido pelas populações, tanto na mobilização de meios, como na cooperação com outros agentes, incentivando, sensibilizando e mobilizando no combate contra a propagação do vírus.

São muitas e muito fortes as razões que justificam abrir uma janela na luta contra a maior crise sanitária da era democrática para comemorar Abril.

Só quem não sabe ou não compreende a importância do 25 de Abril nas nossas vidas como cidadãos e como povo é que se interroga sobre a comemoração do 25 de abril na casa da democracia portuguesa. Naturalmente, no respeito pelas regras da contenção e do distanciamento social, tanto para convidados como para deputados, como vem acontecendo nos trabalhos parlamentares.

Saibamos comemorar Abril e Maio lutando pela defesa de mais e melhor saúde para todos.

Unidos venceremos.

Viva o 25 de Abril!

 

Comentários

- Pub -