É urgente valorizar o Centro Hospitalar de Setúbal

31
visualizações
André Martins, Presidente da Assembleia Municipal de Setúbal

O reforço do Serviço Nacional de Saúde em capacidade, em eficácia e qualidade de resposta é uma exigência que de todos requer mobilização e empenhamento. Em Setúbal, ou em qualquer outra região do País, ser solidário e exigente é a melhor forma de estarmos sempre preparados para a atual situação ou para qualquer outro tipo de pandemia.

- Pub -

A prevenção é sempre o melhor remédio.

Neste contexto, mais urgente ainda é a valorização do Hospital de São Bernardo, quer pela via da ampliação das suas instalações, quer pelo aumento das suas capacidades de prestação de serviços de saúde. Ou seja, o nosso hospital está absolutamente necessitado de melhores instalações e de mais recursos humanos.

Na passada semana, a mesa da Assembleia Municipal de Setúbal recebeu uma delegação dos diretores de serviço do Centro Hospitalar de Setúbal, depois de um pedido endereçado por estes médicos ao presidente deste órgão municipal. Atempadamente fizeram-nos chegar um documento que faz o levantamento e caracterização social dos recursos disponíveis e dos que seriam necessários para responder com eficácia e qualidade à procura na sua área de abrangência territorial.

Da exposição que nos foi feita, e que publicamente aproveitamos para agradecer, ficou bem patente a sensibilidade e preocupação destes profissionais de saúde, também enquanto dirigentes de serviços de áreas de especialidade da carreira hospitalar, tanto no que se refere à situação atual, como ao futuro do Centro Hospitalar de Setúbal.
A Assembleia Municipal, na sua sessão de 26 de junho, por iniciativa da CDU, aprovou por unanimidade uma moção intitulada «Pela ampliação e valorização do Centro Hospitalar de Setúbal», em que se delibera:

– Manifestar solidariedade com todos os profissionais do Serviço Nacional de Saúde que, em Setúbal, lutam por um Centro Hospitalar capaz de responder às necessidades dos seus utentes, prestando um serviço público de qualidade;

– Manifestar profunda preocupação com a situação existente, exigindo ao Governo as medidas imediatas necessárias para impedir o risco de o Centro Hospitalar de Setúbal perder valências e comprometer o seu futuro;

– Exigir que o Governo cumpra o compromisso, assumido em Conselho de Ministros, de incluir a ampliação do Hospital de São Bernardo no programa de investimentos na área da saúde;

– Exigir que se proceda a contratação dos profissionais em carência, nomeadamente de médicos, enfermeiros, psicólogos, técnicos superiores de diagnostico e terapêutica, assistentes técnicos e assistentes operacionais para o Centro Hospitalar de Setúbal, garantindo as suas valências;

– Exigir a classificação do Centro Hospitalar de modo a garantir um nível de financiamento adequado que respeite e valorize a sua diferenciação, as suas valências, o seu papel na formação de especialistas e a população abrangida;

A Assembleia Municipal de Setúbal tem, assim, neste momento um conhecimento alargado da situação que se vive neste Centro Hospitalar, com problemas já bem identificados e sentidos pelos seus profissionais e que afetam hoje todos os utentes. Esta é uma situação que se agravará significativamente se não forem tomadas decisões e medidas adequadas de imediato.

O nosso compromisso é o de continuar a acompanhar a situação e de agir em defesa do interesse público, se o atual quadro critico não se alterar.

Enquanto presidente Assembleia Municipal de Setúbal farei o que estiver ao meu alcance para acelerar todos os procedimentos necessários à ampliação do Hospital de São Bernardo e à qualificação e reforço dos recursos humanos de todo o Centro Hospitalar.
Setúbal e a saúde dos que vivem nesta região não podem continuar a sofrer com indefinições reiteradas nesta matéria.

Comentários

- Pub -