A Europa devia ter vergonha!

23
visualizações
Mário Moura - Médico

Há muito tempo que se tem posto em evidência a gravidade da acção do homem delapidando a natureza, consumindo sem qualquer cuidado os bens que a Mae Terra fornece, desde o petróleo, aos variados minerais (carvão, ferro, pedras preciosas, volfrâneo, lítio e tantos outros) e até a agua. Mas a acção do homem no afã do consumo e do lucro inerente a esse consumismo, segue a sua acção destrutiva com a desflorestação de grandes áreas modificando o habitat de muitos seres vivos que assim correm graves riscos de desaparecerem alterando os equilíbrios que a natureza criou e diminuindo o oxigénio essencial à vida. E depois nas suas correrias loucas o homem encheu as estradas de automóveis, os mares de barcos e dejectos e os ares de aviões cada vez maiores e…mais poluentes. Tudo isto numa corrida pela ânsia descontrolada de produzir, levar a consumir e obter riqueza sem olhar a consequências de poluição, de desequilíbrios ecológicos, de alterações climáticas inevitáveis – e assistimos a mais tufões ou ciclones, a inundações, novas doenças e ao aumento global da temperatura do ar e do mar .

- Pub -

Mas os homens com os seus comportamentos, há muitos séculos que se confrontam uns contra outros por muitas razões de que a principal é o desejo de terem cada vez mais poder e ter o domínio de cada vez mais terreno e mais riquezas . E a História descreve-nos imensa guerras cada vez mais destrutivas na sequência dos constantes e rápidos progressos das tecnologias .E dessas guerras, e das desigualdades tremendas geradas pelas intransigências étnicas e religiosas, formam-se movimentos de refugiados procurando outras paragens onde reine a paz ou onde se possa alimentar ,não só a fome do corpo mas também a fome duma vida calma e feliz. E por isso a Europa é procurada por milhares de refugiados de África. E assim o mar Mediterrânio, fronteira sul da Europa, se tornou um verdadeiro cemitério onde pereceram milhares desses fugitivos em embarcações superlotadas e frágeis. E os que chegam a terra firme são mal recebidos pois os países Europeus não conseguem entender-se sobre como acolhe-los – deixando a Grécia com um problema grave.

Vêm estas considerações a propósito do drama dos milhares desses refugiados amontoados sem condições há dois ou três anos na ilha de Lesbos (Grécia) que ardeu há uns dias deixando os, agora fugitivos, pelas estradas e pelos campos em redor, aí contidos pela polícia de choque dos gregos-. É a imagem deprimente da desumanidade dos homens ás voltas com a pandemia dum vírus quem vai aumentando o egoísmo do ser humano “proibido” de qualquer ato de ternura. Quem ajuda aquelas famílias? Perdeu o ser humano a sua parte solidária ? Se é assim muito mal vai a nossa Humanidade! “A Europa devia ter vergonha!” disse um responsável da EU.

Comentários

- Pub -