4 Março 2021, Quinta-feira
- PUB -
Início Opinião O povo, os populismos e as eleições

O povo, os populismos e as eleições

Já nesta coluna de opinião tenho dito que a pandemia que nos assola cada vez com mais intensidade pode e deve ser aproveitada como uma oportunidade para construirmos sobre os escombros resultantes dos tremendos efeitos que a pandemia – para alem dos gravíssimos efeitos na saúde – tem provocado na economia e na organização social. Basta estar atentos aos problemas do desemprego e das falências que aumentam e ameaçam aumentar semana a semana por causa das medidas de confinamento absolutamente necessárias para tentar travar a progressão galopante da doença – em todos os países e, infelizmente, com mais intensidade entre nós. O ambiente social e as mentalidades das pessoas estão havidas de mudança. Mas os meios de comunicação social – clássicos e das modernas tecnologias – começam a por a nú os defeitos da sociedade em que vivíamos e continuamos a viver, como seja a inaptidão para acabar com a pobresa e a facilidade com que se excluem os mais fracos para as periferias ou ainda o verdadeiro abandono a que se votam os idosos que deixaram de ser produtivos e passaram a ser seres “pesados” socialmente. Desta crise sairemos piores ou melhores mas nunca iguais – há pois que aproveitar a encruzilhada em que nos iremos meter para começar construindo uma sociedade nova pondo a tónica precisamente nos excluídos e nos mais pobres. É necessário dar a voz aos mais novos que veem o seu futuro ameaçado e tentar uma verdadeira mudança interior das pessoas, tentar renovar os objetivos de vida e os meios utilizados para tais mudanças sempre baseadas na fraternidade e no respeito pela dignidade da pessoa. Tal verdadeira “conversão” que terá de por o povo no centro da ação político-social é bem diferente do populismo que anda com frequência na boca dos nossos políticos atuais, populismos que são uma verdadeira mistificação, que não são um verdadeiro esforço para colocar o povo na condução das mudanças necessárias à construção duma sociedade fraterna.

- PUB -

Nesta necessária “revolução” têm os que se dizem cristãos, de ter uma participação ativa – e assim pensa o nosso atual Papa Francisco que começa mesmo a tentar que a Igreja seja a primeira a dar o exemplo e a protagonizar tal mudança. Assim Ele nas suas palavras e nos seus escritos vem desmontando toda a rigidez da pirâmide hierárquica, lutando contra o clericalismo, pedindo uma “igreja em saída”, uma igreja “hospital de campanha”, lembrando continuamente que o Caminho vivido por Cristo é o caminho que devemos seguir em todas as circunstâncias- o caminho da fraternidade e da centralidade do povo. E insiste em que o AMOR oriente toda a vida de todas as pessoas e que o “ser cristão” seja sempre um “viver como Cristo”. Preconiza para tal uma política baseada nos movimentos populares, numa verdadeira Democracia,, sempre com os olhos no bem comum. Francisco apoia a sinodalidade, sempre se intitula Bispo de Roma e não Papa, desde sempre deixou os aposentos de Papa no Vaticano para significar que é “um como os outros” sendo um sinal entre muitos de que os bispos e todos os sacerdotes devem viver como as ovelhas do seu rebanho.

É tempo de, em plena pandemia com todos os seus problemas, mais do que em tempos banais, os cristãos sejam exemplo e força de mudança para uma sociedade que teremos de construir sobre as ruínas desta sociedade podre agora profundamente abalada pela “covid 19”.

É tarefa para cristãos e para todos os homens de boa vontade e que tenham bem viva as suas obrigações de cidadania – e para tal é necessário votar nas eleições que se avizinham.

- PUB -
- PUB -
- PUB -

Mais populares

CDU vai lançar André Martins à presidência da Câmara Municipal de Setúbal

A CDU vai avançar com André Martins como candidato à presidência da Câmara Municipal de Setúbal nas autárquicas deste ano. O nome do actual...

Joaquim Maia deu a volta à tragédia para ajudar atletas a vencerem na pista

A vida pregou-lhe uma má partida, mas não se deixou vencer. Hoje é treinador e já ajudou a lançar atletas de alta competição     No campo...

Incêndio destrói cozinha de habitação na Avenida Bento Gonçalves

Um incêndio deflagrou hoje numa habitação situada na Avenida Bento Gonçalves, em Setúbal, tendo provocado a destruição completa da respectiva cozinha, uma vez que...
- PUB -