Navigator alcança 2 milhões de portugueses com acções para crianças

28
visualizações

Iniciativas no âmbito de projecto educativo incluem desenhos animados, música, jogos, passatempos e ginástica. Tudo em plataformas digitais

 

- Pub -

A Navigator lançou um conjunto de novas iniciativas educativas online para crianças, no âmbito do projecto “Dá a Mão à Floresta”, que desde meados de Março até à presente data já conseguiu alcançar mais de 2,1 milhões de pessoas em Portugal.

O conjunto de iniciativas tem por objectivo “proteger e valorizar a floresta nacional”, mantendo os mais novos, com idades entre os quatro e os 10 anos, activos no actual período de quarentena e de resguardo social, revelou a empresa produtora integrada de floresta, pasta e papel, tissue e energia, que conta com uma das unidades fabris instalada na Mitrena, em Setúbal.

Brevemente e neste âmbito, a empresa anunciou que conta ainda disponibilizar aulas de ginástica para que a pequenada possa “dar continuidade ao exercício físico que faz parte das suas rotinas escolares”. Juntamente com a revista “Dá a Mão à Floresta” e até ao final de Abril, a Navigator anunciou também que vai distribuir “um livro de fichas com actividades de apoio às matérias” leccionadas no 1º ciclo do ensino básico, nas áreas da língua portuguesa, estudo do meio e matemática.

As iniciativas pretendem assim ocupar a criançada e incluem várias histórias infantis, concertos musicais e workshops educativos, entre outras acções, conforme explica a Navigator.


“Até ao momento, temos disponíveis online dois episódios de desenhos animados que dão corpo às personagens do universo ‘Dá a Mão à Floresta’, sete ‘Contos da Floresta’, seis concertos musicais (‘Floresta Musical’), um workshop educativo (‘Atelier da Floresta’), dois jogos interactivos e dois passatempos.”

Já as aulas de ginástica “estão em fase final de preparação, pelo que em breve estarão disponíveis online”.

De salientar que a Navigator Company, nas suas propriedades, protege 235 espécies de fauna e 740 de flora. A empresa quer desta forma “apelar aos mais novos para a importância da preservação da floresta e do meio ambiente”. Recorde-se que, esta que é a terceira maior exportadora portuguesa, teve em 2019 “um volume de negócios de 1,68 mil milhões”, com 91% dos seus produtos a serem vendidos para 130 países.

Comentários

- Pub -