“2020 não podia começar mais promissor com o novo Centro de Saúde da Baixa da Banheira”

56
visualizações

Palavras são de Nuno Cavaco, presidente da União de Freguesias de Baixa da Banheira e Vale da Amoreira. Em 2021 a nova Unidade de Saúde Familiar estará a receber mais de 30 mil utentes

 

- Pub -

A construção do novo centro de saúde da Baixa da Banheira está finalmente a avançar no terreno. Segundo Nuno Cavaco, presidente da União das Freguesias de Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, a nova Unidade de Saúde Familiar “é a grande conquista de 2019 e o grande passo de 2020, depois de quase 30 anos de espera. Por isso o ano não podia começar mais promissor”.

Depois da assinatura do auto de consignação da obra entre a Câmara Municipal
da Moita e a empresa Betonit – Engenharia e Construções S.A., no início deste mês, “agora as máquinas já andam no terreno e na próxima semana a obra já estará a todo o gás”, explica o autarca.

O equipamento está a ser edificado na zona sul da Baixa da Banheira, junto à Rotunda 25 de Abril e deve estar concluído dentro de 18 meses, prevendo-se que em 2021 já esteja a servir uma população de cerca de 30 mil e 400 utentes.

Acção do município foi essencial para avanço do projecto Para que o projecto avançasse, depois de décadas de espera e reivindicações dos utentes, o município da Moita cedeu gratuitamente, em regime de direito de superfície, o lote de terreno onde será construído o novo centro de saúde.

E embora a responsabilidade da construção deste equipamento seja exclusivamente do
Ministério da Saúde, a Câmara Municipal assumiu os encargos com a elaboração dos projectos das especialidades, a coordenação da fiscalização técnica da empreitada, os encargos com os arruamentos, arranjos exteriores, estacionamentos, infra-estruturas e respectivas ligações de água, esgotos, electricidade e telefone. Um investimento camarário no valor de 335 mil euros, para além do valor do terreno.

No total entre o investimento da Câmara e fundos do Programa Operacional da Região de Lisboa – FEDER, o equipamento da Saúde vai custar 2 milhões e 444 mil euros. Um valor apenas possível alcançar devido ao contrato-programa celebrado entre a Câmara Municipal e a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

“A nossa vila será palco de muitas mudanças”

Também para 2020 está previsto o início da requalificação da Avenida 1º de Maio entre a Baixa da Banheira e o Vale da Amoreira. “Esta será a prioridade em termos de acessibilidades”, afirma Nuno Cavaco.
“Mas tal como o presidente da Câmara municipal [Rui Garcia] já referiu a Baixa da Banheira será palco de muitas outras mudanças nos próximos anos, entre elas a requalificação da Estrada Nacional 11”.

Comentários

- Pub -