Autarca da Moita aponta défice de lugares de creche como um dos grandes problemas do concelho

57
visualizações
Direitos Reservados

Durante uma visita ao Colégio Corte Real, António Costa defendeu a necessidade de se apostar em políticas de apoio às famílias jovens. Algo que o presidente da Câmara da Moita quer ver sair do papel

 

- Pub -

A visita às novas instalações da creche do Colégio Corte Real, na Moita, que se encontram agora ampliadas com mais lugares de creche, foi o momento escolhido por António Costa para abordar publicamente um dos pontos do Orçamento de Estado para 2020, agora em debate na especialidade na Assembleia da República: o apoio à emancipação das famílias jovens através de mais lugares de creche, e serviços educativos prestados de forma gratuita ou com baixas mensalidades.

Durante a visita, a presidente do Colégio Corte Real, Diana Santos, destacou também o facto do Colégio Corte Real ser a única instituição em todo o distrito que já executou um projeto de ampliação de vagas de creche, apoiado no âmbito dos fundos estruturais Portugal 2020.

Rui Garcia, presidente da Câmara Municipal da Moita, acompanhou esta comitiva e reafirma agora a O SETUBALENSE – DIÁRIO DA REGIÃO que este é “um assunto que necessita de atenção e investimento do Estado, sobretudo porque este é um dos grandes problemas no município da Moita, sendo este, dentro da Área Metropolitana de Lisboa [AML] um dos que menos vagas tem”.

No entanto, o autarca espera que “as novas políticas, hoje em debate, possam sair do papel, para se concretizarem realmente, uma vez que, novos incentivos como o alargamento dos serviços de creche, permitirá às famílias jovens ter mais rendimentos disponíveis e melhor qualidade de vida. Sobretudo, permitirá uma maior aposta na natalidade”.

Papel fundamental da Educação

Foi sobretudo a importância destas medidas no aumento da natalidade que levou António Costa a afirmar o papel fundamental das creches em todo o país, durante a visita que decorreu terça-feira. “Ter melhores condições para que as jovens famílias consigam ter os filhos que desejam”, é um plano do qual faz parte a “criação de um complemento creche de 60,00 euros mensais para todas as famílias a partir do segundo filho”.

O primeiro ministro referiu ainda que, durante o debate do Orçamento de Estado, na fase especialidade, “foi possível melhorar uma proposta do PCP, tendo em vista a gratuitidade das creches, a partir de outubro, para todas as famílias (independentemente do número de filhos) que estejam no primeiro escalão das creches, mas também para todas as famílias a partir do segundo filho e que estejam no segundo escalão”.

Em relação ao Orçamento, o primeiro-ministro falou num conjunto de medidas “para aumentar a capacidade económica das jovens famílias”, designadamente em matéria fiscal, emprego e na habitação.

António Costa destacou ainda a negociação de um programa para a melhoria da conciliação entre a vida familiar e laboral, visando “ajustar melhor o horário de trabalho face às necessidades das famílias com crianças pequenas”.

Escola Técnica Profissional da Moita também as portas ao líder do Governo

A Escola Técnica Profissional da Moita também teve o privilégio de ser o primeiro estabelecimento de Ensino Profissional visitado por António Costa e Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, que também integrou a comitiva destas visitas.

Aqui, perante um público jovem com uma diferente percepção sobre os desafios da educação que se impõem no quotidiano, António Costa referenciou ainda que, caso o Orçamento de Estado seja aprovado, os alunos de Nível IV do Ensino Profissional, vão ser apoiados com a concessão de uma isenção fiscal nos primeiros três anos de trabalho (30% no primeiro ano, 20% no segundo e 10% no terceiro). Um grande alento para o desenvolvimento de projetos centrados na melhoria do ensino profissional.

Comentários

- Pub -